"Mendigo gato" recebe visita da família em clínica, chora e pede para voltar para casa

"Mendigo gato" recebe visita da família em clínica, chora e pede para voltar para casa

A mãe conta que já chegou a ficar muito mais tempo sem ter notícias de Rafael

"Me leva embora para casa, mãe." Foi com essa frase, dita em meio a muitas lágrimas, que Rafael Nunes, de 31 anos, conhecido como o "mendigo gato de Curitiba", recebeu a visita dos pais na clínica onde passa por tratamento, em Araçoiaba da Serra (SP).

Esta foi a primeira vez que a mãe, Edit Claurence Silva, de 57 anos, e o pai, José Nunes Silva, de 55, encontraram o rapaz desde que ele foi internado, há 21 dias. "Deu uma engordada, mas a canela continua fina", brincou Edit, que não via Rafael há quase dois meses.

A mãe conta que já chegou a ficar muito mais tempo sem ter notícias de Rafael, mas havia épocas em que o rapaz fazia visitas periodicamente. "Ele vinha nos ver pelo menos uma vez por mês. Almoçava, tomava banho, pegava umas roupas e ia embora. Eu tentava convencê-lo a ficar, perguntava se ele não queria procurar tratamento, porque se falasse em clínica ele fugia, tinha trauma dessa palavra. Ele sempre respondia que dali a 15 dias viria fazer o tratamento, mas nunca vinha", lembra.

Segundo Valter Lattanzio, diretor do Centro Terapêutico Araçoiaba, a reação do rapaz ao ver os pais é normal. "Já era esperado, por ser o primeiro encontro, que ele manifestasse vontade de voltar para casa. Mas sabemos que não é da casa que ele sente falta, já que ele morava na rua há um ano. O organismo dele sente falta das substâncias que ele usava", diz.

Obra de Deus

Edit acredita que a internação do filho vai ter resultado positivo. "Já tentamos muitas outras vezes, participamos de todos os programas assistenciais do governo, levamos para clínicas particulares, mas foi tudo sempre muito precário. Teve uma vez que ele ficou apenas 24h em uma clínica. Às vezes ele só ia para agradar a gente. Desta vez, além da estrutura do lugar, o fato de estar distante de Curitiba, cercado por pessoas novas colaboram para que ele leve o tratamento a sério. Santo de casa não faz milagre", afirma.

Edit, que relata ainda não ter se acostumado com a notoriedade que o filho conseguiu ao ter sua foto publicada no Facebook, diz que a jovem autora da foto foi "um anjo que apareceu na vida dele". "Ele já sofreu muito na vida, se afundou nas drogas. Acho que agora chegou a hora dele. Não foi sorte, foi obra de Deus", acredita.

A mãe lamenta, no entanto, que a grande maioria dos dependentes químicos não tenha a oportunidade que Rafael teve para tratar o vício. "Ter um dependente na família, sobretudo um filho, é horrível, mas temos que acreditar em Deus, ter muita fé, buscar grupos de apoio e manter a família unida. A união é fundamental. Não podemos desistir nunca, por mais difícil que seja?, completa.

Rafael terá a companhia dos pais até a manhã deste sábado (10), quando está marcado o retorno deles para Curitiba. O tratamento do rapaz está programado para durar mais sete meses.

Entenda o caso

O caso de Rafael Nunes ganhou grande repercussão após uma foto dele ser publicada em uma rede social, quando ainda morava nas ruas.

De acordo com o relato da mulher que fotografou o jovem na rede social, Rafael viu ela com a máquina fotográfica e pediu para que tirasse uma foto dele, pois queria ficar famoso ?na rádio?.

Dias depois da publicação da foto descobriu-se que Rafael era um ex-modelo, que tinha se afundado nas drogas e vivia nas ruas do centro de Curitiba há um ano.



Fonte: G1