Mendigos chegam com fim do ano

Já não é mais nenhuma novidade que com a chegada do período natalino

Com a proximidade do Natal e das festas de fim de ano ? un?nime a opini?o de que o povo fica mais solid?rio. E ao que parece isso ? realmente uma verdade. Pelo menos se levarmos em considera??o o n?mero de mendigos que aparecem por toda Teresina esperando justamente essa boa vontade e sensibiliza??o da popula??o teresinense.

J? n?o ? mais nenhuma novidade que com a chegada do per?odo natalino o n?mero de pessoas que ficam pelo centro da cidade pedindo algum tipo de ajuda aumenta consideravelmente. Um exemplo claro dessa mendic?ncia pode ser observado no entorno da Pra?a Rio Branco, onde esta equipe de reportagem constatou, pelo menos, cinco pessoas a mais pedindo esmolas no local.

Assim como eles, outras dezenas de mendigos j? come?am a chegar ? cidade movidos pela promessa de uma maior facilidade em conseguir esmolas. O per?odo de fim de ano ? tido pelos mendigos como uma das melhores ?pocas para conseguir sensibilizar as pessoas. A Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e Assist?ncia Social (Semtcas) afirma que n?o h? como se ter uma id?ia da quantidade de mendigos pelas ruas, mas eles mesmo estimam que, at? o momento, h? mais de vinte s? no centro da cidade.

Segundo a Semtcas, esse tipo de comportamento j? ? esperado, mas afirma que uma grande parte deles n?o ? de Teresina. ?N?s sempre

fazemos alguns levantamentos e percebemos que a maior dificuldade ? conseguir fazer com que as pessoas parem de dar esmolas, pois muitas delas n?o percebem que essa ? a pior maneira de tentar ajudar?, diz a assessoria.

Francisco Abreu ? natural de ?gua Branca, mas agora ?mora? na cal?ada da Igreja de Nossa Senhora das Dores, no centro da capital. Segundo ele, foi expulso de casa devido ao problema com o ?lcool. ?Minha mulher me colocou para fora porque bebo muito. N?o tinha onde ficar e vim para Teresina?, revela. Ele ? apenas um dos que moram nas imedia?es do

centro. ?Mas aqui n?o tem s? eu n?o. V?rias pessoas dormem por aqui e cada dia aparece um diferente. Essa ? a primeira vez que saio de casa e vou levando a vida. Espero conseguir alguma coisa esse final de ano?.

Fonte: Marcos Prado, Jornal Meio Norte