Menina é picada por um escorpião e morre após ir a 3 unidades de saúde

Segundo ele, Laura Kauane disse à mãe na manhã da segunda-feira (13) que havia sido mordida por uma barata.

Uma sucessão de fatores registrados durante o atendimento médico em unidades de saúde pública de Alagoas resultou, na madrugada desta terça-feira (14), na morte de uma menina de 4 anos que foi picada por um escorpião no bairro do Jacintinho, em Maceió. Segundo os parentes de Laura Kauane da Silva Santos, a demora e os embaraços gerados nas unidades de saúde durante o socorro da criança foi determinante para óbito.

?Nunca imaginei que um dia iria precisar trocar a certidão de nascimento da minha filha que tanto amava por uma certidão de óbito. Isso aconteceu por negligência médica diante profissionais que duvidaram da gravidade do problema e alegaram que não era possível achar uma vaga na UTI para uma menina de 4 anos?, expôs Roosevet Silva dos Santos ao lamentar chorando por não ter conseguido salvar a filha e alegar que vai buscar ajuda para que o caso de negligência seja apurado.

Segundo ele, Laura Kauane disse à mãe na manhã da segunda-feira (13) que havia sido mordida por uma barata. Ao apresentar febre e vômito, ela foi encaminhada pelos pais ao Mini Pronto Socorro do Jacitinho. ?Ela já estava mal e o estado de saúde só piorava. Mesmo assim, a médica demorou a atendê-la e a liberar a ambulância para que Kauane fosse socorrida em outro lugar. Quando a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou só havia motorista e nenhum paramédico?, contou Roosevet.

Com estado de saúde já bastante agravado a menina foi levada ao Hospital Hélvio Auto, onde foi constatado que problema estava sendo provocado por veneno de escorpião. ?Como a equipe médica avaliou que o veneno estava muito espalhado recomendou que ela fosse para o Hospital Geral do Estado (HGE). Lá, depois de muita negociação, Laura foi entubada e sedada, mas não resistiu a duas paradas cardíacas e acabou morrendo?, relatou o pai da criança ao revelar que o atendimento médico foi negligente e conturbado em todas as unidades de socorro que a família passou.

Laura Kauane foi enterrada na manhã desta terça-feira (14) no cemitério público São José, em Maceió. Já a mãe, Aline Rafaela, entrou em choque devido a perda da filha e precisou ser internada.

Secretaria de Estado da Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) se pronuciou, por meio de nota oficial à imprensa, informando que a paciente recebeu todos os cuidados necessários.

Veja nota na íntegra

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que a paciente L.k.A.S. vítima de uma picada de escorpião, recebeu atendimento médico adequado no Ambulatório 24 Horas João Fireman, no bairro Jacintinho. Esclarece que a paciente deu entrada na unidade às 10h15 do dia 13 de janeiro de 2014, apresentado náuseas e vômito, conforme descrição da Ficha de Atendimento Ambulatorial.

Após ser examinada por uma médica pediatra que se encontrava de plantão, a paciente foi medicada, estabilizada e encaminhada até o Hospital Escola Hélvio Auto (HEHA), que é especializado para o atendimento a vítimas de escorpião. A Sesau ressalta que a paciente foi transferida por uma Ambulância Cidadã, sob a supervisão de uma técnica de enfermagem, e não em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

No HEHA, a paciente recebeu atendimento médico especializado e o soro antiescorpiônico, que é uma solução injetável de imunoglobulinas específicas purificadas e concentradas. Como o quadro clínico da paciente se agravou, ela foi encaminhada para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde foi entubada, mas, evoluiu para óbito, mesmo recebendo todos os cuidados necessários.


Menina é picada por  escorpião e morre após ir  a três unidades de saúde

Fonte: G1