Menor mata mãe, confessa crime e diz que motivo era que queria ter mais liberdade com o namorado

Menor mata mãe, confessa crime e diz que motivo era que queria ter mais liberdade com o namorado

O assassinato aconteceu uma semana após Adriana proibir a adolescente de levar o namorado, Daniel Duarte Peixoto, à sua casa

De olhos baixos, a imagem de X. na 32 DP (Taquara) contrastava, nesta quinta-feira, com a jovem que cultivou sua força nas aulas de muay thai durante quatro anos. Foi com as técnicas da luta que a menor, de 17 anos, teria conseguido matar a mãe, Adriana Rocha de Moura Machado. Fria, ela confessou o crime à polícia após ser pressionada. O assassinato aconteceu uma semana após Adriana proibir a adolescente de levar o namorado, Daniel Duarte Peixoto, à sua casa. Para ter mais liberdade com o parceiro, segundo a polícia, a jovem planejou e executou o crime com a ajuda do rapaz.

X. dormia na mesma cama da mãe, em um pequeno apartamento no Cachambi. Foi da intimidade que ela tirou a oportunidade para golpear Adriana com um ?mata-leão?. Já desmaiada, a vítima foi sufocada com um saco plástico. Daniel já aguardava X. do lado de fora da casa, para comprarem álcool e queimarem com o corpo. O casal levou Adriana até um terreno em Duque de Caxias, onde o corpo foi incendiado.

Um dia depois, a menor ligou para o primo, o inspetor de polícia Rafael Machado, para comunicar o desaparecimento da mãe. X. acusou uma prima, que discutiu com Adriana recentemente pela herança de outro parente.

? Ela me pedia para procurar a mãe nos hospitais, sabendo onde ela estava. Se existe um monstro nessa história, é ela ? desabafa Fabiana Lopes, amiga da família.

Segundo a polícia, a jovem também tinha interesse em um seguro de vida da mãe, no valor de R$ 15 mil, do qual era a única beneficiária. Após quatro depoimentos, o casal confessou o crime. Daniel pode pegar até 30 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. X. cumprirá uma medida socioeducativa por no máximo três anos.

Três dias depois de matar a mãe, X. recebeu em casa para falar sobre o suposto desaparecimento da telefonista. Na ocasião, a estudante ajudou a procurar fotos de Adriana Rocha de Moura Machado nas redes sociais, contou detalhes dos últimos momentos dela e disse desconhecer seu paradeiro. Não esboçou emoção.

? Não faço ideia do que pode ter acontecido com ela ? garantiu, tímida, ao lado do namorado e da tia.

? Estamos em estado de choque. Nunca imaginamos que uma menina de quem cuidei desde bebê, que sempre recebeu muito carinho, fosse capaz disso ? emocionou-se a dona de casa Regina Célia Machado Matos, tia da telefonista.

Na tarde da última terça-feira, a assassina confessa chamou um parente para anunciar ?uma boa notícia?. Ela falou que prentedia se casar com Daniel. De acordo com parentes, a jovem não se mostrava preocupada com o sumiço da mãe.

Segundo a polícia, no dia seguinte ao assassinato X. foi à cooperativa Ouro Táxi, onde a mãe trabalhava, e pediu dinheiro para fazer buscas por hospitais e no IML. Mas gastou tudo em compras no Norte Shopping.

Fonte: Extra