Mercado Imobiliário: Cresce aluguel de casas através da internet na capital piauiense

Mercado Imobiliário: Cresce aluguel de casas através da internet na capital piauiense

o muitas as razões que levam um cidadão comum a apostar nas imobiliárias virtuais para procurar o novo lar

O mercado imobiliário virtual está em alta. A cada mês mais de 8 milhões de pessoas em todo o Brasil procuram casas, apartamentos e pontos comerciais para alugar, registrando aumento de 300% no último ano. É a comodidade de pesquisar a moradia sem precisar sair de casa.

No Piauí a história não é diferente e continua ganhando adeptos. Segundo o Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Piauí, a prática começa a se sobressair e ganhar mais seguidores. São muitas as razões que levam um cidadão comum a apostar nas imobiliárias virtuais para procurar o novo lar.

O fato de poder analisar muitas residências de uma vez só, sem precisar se locomover é uma verdadeira mão na roda para os que não têm muito tempo disponível para vasculhar atentamente pelo novo lar. As imobiliárias estão de olho neste filão e começaram a investir na extensão do cardápio para o mundo virtual.

O presidente do CRECI/PI, Nogueira Neto, reconhece a importância da busca on-line. "A internet funciona como um meio para se chegar mais rápido onde se quer. No caso, até o lar desejado. A busca virtual dispensa a dificuldade de visitar vários lugares até encontrar a moradia definitiva.

O internauta pode pesquisar a vontade, eliminar os locais que menos interessam e partir para os que realmente se encaixam na pretensão da pessoa", explica.

O futuro inquilino deve ficar atento a falsos anúncios e tarifas extraordinárias, bem abaixo da cotação de mercado. Alguns golpistas sentiram o potencial do filão virtual e já aplicam golpes nos internautas despercebidos.

Isso quando não realizam falsos anúncios que nada têm a ver com o imóvel real comercializado pelo vendedor. Atenção e prudência na hora de visitar uma casa são essenciais, e o usuário jamais deve depositar alguma quantia antecipada de dinheiro.

Fonte: Olegário Borges