Mercado tem grande movimentação e quilo do peixe chega a custar R$ 45,00

Em vista disso, o aumento da procura é refletido também no aumento dos preços, e o peixe mais caro chega a custar R$ 45.

O Mercado do Peixe, situado na zona Sudeste de Teresina, que teve o funcionamento até meio-dia da Sexta-feira da Paixão (3), apresentou grande movimentação, na manhã do feriado. Isso porque, como rege a tradição, os fiéis católicos deixam de comer carne vermelha para se alimentar de peixes e demais frutos do mar, como camarão, caranguejo e sardinha. Em vista disso, o aumento da procura é refletido também no aumento dos preços, e o peixe mais caro chega a custar R$ 45.

A equipe do Jornal Meio Norte fez uma pesquisa de preços no Mercado do Peixe, para saber se o aumento neste período foi significativo. O aumento nos valores dos peixes chegou a 30% em relação ao preço normal. Tendo variação de banca para banca. O peixe mais caro foi o salmão que 1kg está custando R$ 45, o segundo mais caro é a pescada amarela, 1kg custa R$ 35, já na terceira posição está o piratinga que está custando R$18. Entre os mais baratos estão o tambaqui e branquinho, ambos custam R$10, e em seguida o tilápia R$ 14.

Emílio Júnior, que é um católico que segue a tradição, confessa que apesar de os preços estarem elevados, conseguiu adquirir o peixe da família, como manda a tradição repassada por seus pais e avós. “Na Semana Santa já é tradicional, pena que o preço está um pouco salgado. Mas mesmo assim deu para comprar para essa Sexta-feira Santa, como manda a nossa religião. A gente não se excede e respeitamos a tradição, que foi repassada pelos nossos pais e avós”, garante Emílio Júnior, que levou a família inteira ao Mercado do Peixe.

Já a esposa de Emílio Júnior afirmou que em sua casa o consumo de peixe não ocorre apenas na Semana Santa, mas sim ao longo do ano. “Lá em casa, todo mundo, inclusive as crianças, já consomem o peixe não só na Semana Santa, e sim durante o ano inteiro”, confessa.

Fonte: JMN