Ministério da Saúde autoriza mais de 6 milhões para o HU-Piauí

A informação foi publicada no D.O.U desta sexta-feira (01)

O repasse financeiro para o Hospital Universitário (HU-UFPI) foi ampliado. A informação foi publicada na última sexta-feira (01) no Diário Oficial da União com portaria de nº 562/16, que amplia o repasse financeiro ao Hospital Universitário (HU-UFPI). O aumento deve-se à ampliação dos serviços de saúde deste hospital e corresponde ao montante de 6 milhões de reais ao ano. Outra portaria, de n°536/16, autoriza ainda o repasse anual de 396 mil e 921 reais para o HU, recurso decorrente da recente habilitação do serviço de terapia enteral e parenteral. 

O HU deverá funcionar plenamente por meio de 10 salas de cirurgias, abertura da nova UTI, da Unidade Coronariana e do serviço de Oncologia. O Hospital também passará a funcionar com maior número de leitos: o estabelecimento conta com 160 leitos (150 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI) e passará a contar com 203 leitos (178 enfermarias e 25 UTI). Isso foi definido após sucessivas discussões envolvendo Ministério da Saúde, o secretário municipal de Saúde de Teresina, Aderivaldo Andrade, SESAPI, além de representantes da EBSERH.

Segundo Aderivaldo Andrade, secretário municipal de saúde de Teresina, os repasses federais trarão benefícios para o sistema de saúde: “Em uma política de incremento de recursos para o município de Teresina e para o estado do Piauí, o Ministério da Saúde aportou essa quantidade de recursos que vai viabilizar melhores condições para que o Hospital Universitário possa custear os seus novos leitos. Os custos dos tratamentos médicos são elevados, havendo necessidade de aporte financeiro federal”, afirma.

O secretário acrescenta ainda: “Há uma grande expectativa de que o HU funcione plenamente, dobrando o seu número de cirurgias, podendo chegar a realizar 600 por mês, inclusive aquelas de grande porte, notadamente na área cardíaca. Isso terá reflexo positivo no município de Teresina e em todo o Piauí, ajudando a reduzir a fila de cirurgias eletivas bem como servindo de apoio à rede de urgência”, conclui.

Fonte: Portal MN