Ministério da Saúde espera vacinar 14,7 milhões contra pólio neste sábado em todo Brasil

Incialmente prevista para o dia 22 de agosto, a vacinação foi adiada por causa da nova gripe

O Ministério da Saúde espera vacinar neste sábado 14,7 milhões de crianças, na segunda etapa da campanha de vacinação contra poliomielite. A expectativa com esse número é atingir 95% do público alvo.Todas as crianças menores de cinco anos precisam ser vacinadas. Os cerca de 115 mil postos de vacinação devem ficar abertos das 8h às 17h, mas cada município tem liberdade para alterar esse horário.

Incialmente prevista para o dia 22 de agosto, a vacinação foi adiada por causa da nova gripe, a fim de evitar sobrecarga nos serviços básicos de saúde.

Mesmo quem não foi vacinado na primeira etapa -quando receberam a vacina 11,6 milhões de crianças- deve procurar um posto para tomar a dose. O Brasil não registra casos de poliomielite há 20 anos, mas a vacinação é importante porque a doença ainda existe em 15 países, o que possibilita casos de infecção por causa do fluxo migratório.

A campanha do Ministério da Saúde custou R$ 47,6 milhões, sendo R$ 21,8 milhões na compra dos imunobiológicos; R$ 13,9 milhões nas transferências para as Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e Secretarias Municipais de Saúde (SMS) e R$ 12 milhões em campanha publicitária. Neste sábado cerca de 350 pessoas mil pessoas vão trabalhar no atendimento às crianças, e 40 mil veículos serão utilizados.

A vacina é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde e está disponível nos postos de saúde durante todo o ano. Pelo calendário de vacinação, bebês devem ser vacinados aos dois, quatro e seis meses, com um reforço aos 15 meses de vida. Mesmo assim, as crianças menores de cinco anos devem tomar anualmente as duas doses distribuídas na campanha nacional de vacinação.

O ministério recomenda, no entanto, que crianças que estiverem com febre ou alguma infecção procurem um médico antes de receberem as gotinhas contra a poliomielite. Com indicação médica, a vacinação pode ser adiada para quando o paciente estiver recuperado.

A poliomielite é uma infecção grave. Na maioria dos casos, a criança não morre, mas pode sofrer sérias lesões no sistema nervoso, como paralisias dos membros, podendo chegar a tetraparalisia. A doença é transmitida por um virus que entra no organismo por via oral.

Fonte: g1, www.g1.com.br