Ministério Público considera discriminatórias cláusulas do concurso da PM

Ministério Público considera discriminatórias cláusulas do concurso da PM

O Ministério foi acionado pela entidade que defende os portadores do vírus HIV

A estatura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres, a quantidade de dentes naturais, não possuir tatuagens, fazer exames de sífilis e HIV estão entre os pré-requisitos exigidos pelo edital do concurso da Polícia Militar do Piauí, o que está causando estranheza aos que querem disputar uma vaga.

Acionado pela entidade que defende os portadores do vírus HIV, o Ministério Público considerou discriminatórias as cláusulas, cuja retirada já foi solicitada pela promotora Leida Diniz.

A assessora do Núcleo de Concursos da Universidade Estadual do Piauí, Célia Melo, assegura que as normas do edital estão sendo impostas pelo órgão interessado no concurso. ?Esses editais são elaborados de acordo com o órgão competente?.

A falta de leitura dos editais, segundo a assessora, é um dos maiores problemas enfrentados pelos candidatos e pelo Núcleo. ?Tudo o que está lá é importante?, diz Célia Melo, ratificando que nem todas as informações são dadas ao candidato para que ele não alimente o hábito da não leitura dos editais. ?Nós estamos fazendo um mal, contribuindo para que ele não faça a leitura do edital.?

Fonte: Denison Duarte