Ministério Público prevê pena de 151 anos para mentor de estupros

Promotor Cezário de Souza Cavalcante deu entrevista à Veja.

Nesta segunda-feira (15) o traficante Adão José Silva Souza, de 39 anos, acusado de ser o mentor do estupro coletivo, ocorrido na cidade de Castelo do Piauí, a 180 km de Teresina, será apresentado à Justiça. O promotor Cezário de Souza Cavalcante, durante em entrevista ao site da revista "Veja", afirmou que pedirá pena máxima de 151 anos e 10 meses de prisão.

"Estou considerando que o juiz aplique a pena máxima", diz o promotor.

Image title

"É uma desproporção muito grande cumprir apenas 30 dos mais de 150 anos", disse Cavalcante. "Eles mandaram uma das meninas amarrar as outras, uma coisa terrível. Um dizia 'meu patrão gosta de loirinha'. Eles fizeram isso para humilhar, com desprezo. E no fim crivaram as meninas de pedras", acrescentou. 

O Ministério Público vai denunciar Adão pelos seguintes crimes: corrupção de menores (cinco anos e quatro meses), associação criminosa (quatro anos e seis meses), porte ilegal de arma (quatro anos), quatro estupros qualificados (48 anos), três tentativas de homicídio (sessenta anos) e homicídio quintuplamente qualificado (trinta anos) - motivo torpe, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima, tentativa de ocultar crime anterior e feminicídio.

Com a ajuda de quatro menores de idade, Adão agrediu e jogou de um penhasco, de 10 metros, quatro meninas com idade entre 15 e 17 anos no dia 27 de maio. Uma delas, Danielly Rodrigues Feitosa, de 17 anos, não resistiu e moreu após 10 dias internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

Para o MP, ficou comprovado que ele violentou as adolescentes juntamente com os menores que são acusados de envolvimento com droga, roubo e furto. 


Fonte: Com informações da Veja