Moradores do bairro Mocambinho reclamam de galeria

O acidente que aconteceu no último final de semana no local, quando um carro caiu na galeria, deixou a população assustada.

Os moradores do bairro Mocambinho e Santa Sofia, na zona Norte de Teresina estão reclamando dos riscos de acidentes na galeria a céu aberto que divide os dois bairros.

O acidente que aconteceu no último final de semana no local, quando um carro caiu na galeria, deixou a população e principalmente os condutores ainda mais apreensivos.

Quem mora na região relata que o perigo aumentou depois que uma das vias da avenida foi interditada e a outra se transformou em mão dupla, devido às obras da construção de uma galeria nas proximidades da ponte construída recentemente no local.

"Eu já tinha medo, agora meu cuidado está redobrado quando passo por perto. Sempre tento passar o mais distante possível da galeria, para diminuir o risco", disse o motociclista José Vieira.

O caso do veículo que caiu no local, nesse final de semana, não é o único destes últimos dias. "Há uma semana uma moto também acabou caindo dentro da galeria. Só estou trabalhando aqui há dois meses e já presenciei estes dois casos.

Diante disso, cresce o medo e a apreensão", afirmou Cláudio Francisco de Oliveira, que trabalha em um frigorífico localizado na Avenida Freitas Neto, onde fica a galeria.

O superintendente da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro/Norte (SDU), João Pádua, afirma que em poucos dias a obra que está sendo realizada no local será finalizada e as vias serão liberadas, possibilitando assim a normalização do trânsito no local.

Quanto ao perigo que a galeria a céu aberto possibilita, o superintendente afirma que ainda não recebeu nenhuma reclamação da população local, desde que assumiu a SDU, mas garantiu que fará um estudo na região para ver se há alguma possibilidade de tornar a galeria mais segura.

"Essa galeria já é antiga e não sei como está a situação atualmente na região, ainda não tivemos reclamações, mas analisaremos o caso", pontuou.

Fonte: Pollyana Carvalho