Moradores do M. Castelo sofrem com presença de grotão

Moradores do M. Castelo sofrem com presença de grotão

Os moradores precisam realizar um percurso maior para se dirigir ao posto de saúde e à parada de ônibus que ficam próximos da praça

Muito mato, sujeira e uma série de consequências ocasionadas por esse problema. É essa a situação que os moradores da Rua Major Osmar Félix, no Bairro Monte Castelo, enfrentam todos os dias.

O trecho da rua, que se encerra em um grotão, transformou-se em um verdadeiro lixão a céu aberto, o que, segundo os moradores, foi intensificado depois da colocação de uma cerca vedando a passagem pelo local.

Maria de Fátima mora na rua há 38 anos e é uma das mais prejudicadas, já que a sua casa fica muito próximo ao terreno. ?Temos um sério problema com ratos. Quando o mato está grande assim sempre aparece na vizinhança.

Mosquito tem muito, o que não tinha antes. É um incômodo grande por conta desse problema que não é resolvido. Antigamente mandavam roçar, mas já liguei umas seis vezes só esse ano pra SDU e eles disseram que tinham notificado a reclamação, mas nunca vieram para limpar?, explica.

Como consequência do matagal, sem capina há mais de um ano, o local acabou sendo transformado em depósito de lixo pela população, problema que agrava ainda mais a situação dos moradores. Restos de árvore, lixo domiciliar e até restos de construção e objetos domésticos podem ser vistos pelo local. ?Fizeram uma cerca para impedir de jogar lixo, mas o mato cresceu e agora é que jogam lixo mesmo. Pessoal às vezes vem lá da Av. Marechal Castelo Branco pra jogar aqui?, conta Maria de Fátima.

O risco de doenças é também uma preocupação que assola os moradores. Maria Cristina tem um filho de apenas três meses e um marido que há poucos dias contraiu a dengue. Ela acredita que o motivo tenha sido o mato e teme pela saúde do filho recém-nascido. ?Só pode ter sido dali que meu marido pegou dengue, porque é muito mato e sujeira. Aqui tem muito inseto e meu filho vive sendo picado. Eu coloco repelente pela casa pra ver se resolve?, conta.

Apesar de já ter visto equipes de limpeza trabalhando no local, a moradora Tatiana Nogueira afirma que apenas a parte baixa do grotão, que fica na outra rua, recebeu a limpeza necessária. No final da Rua Osmar Félix, onde está a maior reclamação dos moradores, nada é feito há bastante tempo.

?Aqui em cima nunca vieram limpar. Estão para jogar lixo na porta da nossa casa. Os ratos que aparecem aqui são maiores que os gatos. Até colocamos uns gatos para ver se resolvia o problema que está demais?, conta.

Entre outros fatores, a insegurança também se evidencia. O matagal aumenta o risco de assalto, sobretudo aos que moram mais próximo do terreno. ?É perigoso você chegar à noite e ter bandido escondido no mato?, comenta o morador Décio Paz.

Antes da colocação da cerca fechando a Rua Major Osmar Félix, os moradores costumavam utilizar um trecho do espaço para ir a outros lugares do bairro. Agora, com o acesso vedado por conta do mato e da cerca, os moradores precisam realizar um percurso maior para se dirigir, quando precisam, ao posto de saúde e à parada de ônibus que ficam próximos à praça.

?Aqui era uma rua sem saída, mas a gente reunia uma seis famílias e pagava uma pessoa para capinar. Para pegar ônibus por aqui era bem mais perto, agora tem que dar uma volta por conta do mato que já não dá mais passagem?, conta Maria de Fátima, moradora do local. Embora o excesso de mato seja um grande problema para os moradores, a ausência deles evidencia um outro problema.

O final da rua não é sinalizado, situação esta que já ocasionou diversos acidentes. É o que conta a moradora Olívia Gomes. ?Se antes era ruim agora está pior porque nem a pé não se passa mais. Aqui já até caiu carro dentro, porque não sabem que é um grotão. Antigamente o pessoal passava direto, quando freava já era em cima?, explica a moradora, que sugere além da limpeza, a sinalização no local.

População quer transformar grotão em espaço de lazer

Revitalizar a área. Esta é uma alternativa que muitos dos moradores do entorno do grotão desejam para o local. Apesar do desnível do solo, eles afirmam que a área poderia ser melhor aproveitada.

?Ali é um espaço em que deveria ser realizada alguma ação pelos órgãos competente. Seria interessante se fizessem um grande jardim ou uma praça?, sugere o morador Décio Paz. Na parte baixa do grotão, alguns moradores, por iniciativa própria, começaram a plantar algumas espécies de plantas, como a espada-de-são-jorge.

A ideia, segundo os moradores, é dar uma aparência melhor ao local, que hoje está preenchido pelo mato. Tatiana Nogueira até afirma que ouviu comentários de que a área seria revitalizada, mas ainda espera pelas melhorias. ?Cercaram dizendo que iam fazer um parque aqui. Mas até agora, nada?, conta.

Fonte: Virgínia Santos