Moradores reclamam de oscilações de energia diárias na zona Sul de Teresina

Comerciantes se dizem prejudicados com a perda de mercadorias, enquanto moradores reclamam dos eletrodomésticos danificados

Os moradores da zona Sul, especificamente de bairros mais distantes do centro da cidade, como o conjunto Torquato Neto e os bairros Portal da Alegria e Porto Alegre, convivem diariamente com a falta de energia.

A eletricidade começa a oscilar ainda durante a manhã, mas a situação piora a partir das 21h, melhorando somente durante a madrugada. Muitos comerciantes afirmam ter prejuízo com a perda de mercadorias que precisam de resfriamento, e também existem muitas reclamações de eletrodomésticos queimados ou danificados pelas oscilações.

No conjunto Torquato Neto, os moradores culpam as novas casas construídas como principal causa da falta de energia. Isso porque, com os novos moradores a demanda aumentou, ao tempo em que não existe estrutura para o abastecimento total de todos os moradores. Sendo assim, a falta de energia acaba sendo uma consequência.

Para a dona de casa Elane dos Reis Araújo, o problema piorou bastante nos últimos três meses, exatamente o período em que os novos moradores passaram a ocupar casas na região. Ela conta que já perdeu dois ares- condicionados devido às oscilações, o que tem prejudicado o conforto de sua família: “O prejuízo foi de quase R$ 1 mil para mandar consertar. Tivemos que comprar um estabilizador de energia para evitar que quebrassem mais eletrodomésticos”, afirma.

Já Francisca Vieira Sales, que também é moradora do conjunto Torquato Neto, conta que o prejuízo foi bem maior: R$ 5 mil. “Queimaram duas televisões e minha máquina de lavar há um mês. Agora, quando anoitece, eu desligo a geladeira com medo de queimar também. Depois que entregaram esses apartamentos, piorou muito, eles deveriam analisar primeiro as coisas antes de mandar o pessoa pra cá, porque senão a energia não aguenta”, reclama Francisca.

No Portal da Alegria a situação não é diferente. As vizinhas Maria Eunice Rodrigues e Maria Regilane de Conceição já perderam ventilador e geladeira. “Antigamente, [a queda de energia] era só à noite, mas agora é várias vezes ao dia. Já cheguei ao absurdo de contar 10 quedas de energia em um dia só”, pontua Eunice. “Ou falta de uma vez ou então fica fraquinha e não volta. Aí, quando volta, vem de uma vez e queima as coisas”, complementa Regilane.

Comércio da região é prejudicado

Os comerciantes do bairro Porto Alegre são os mais prejudicados com o abastecimento elétrico ineficaz da região. As oscilações de energia não só atrapalham o atendimento e o trabalho diário dos comerciantes, como também provocam a perda de mercadorias que dependem de resfriamento e corroboram para a perda de eletrodomésticos.

O comerciante Ramon Abreu é um dos prejudicados. As quedas de energia já queimaram um micro-ondas e duas geladeiras do comércio em que trabalha, e muitos produtos como frios e laticínios já estragaram por causa disso. O prejuízo para a compra de um novo motor para uma das geladeiras custou R$ 480. “Aqui tem muita oscilação, já perdemos um bocado de mercadorias. A partir de 21h20 a energia fica indo e voltando”, conta Ramon. Quanto aos prejuízos, ele não conseguiu ressarcimento junto a Eletrobras.

Já Claudionor Ribeiro de Araújo, que trabalha há 10 anos com frigoríficos, reclama do aumento na conta de energia – o reajuste anual médio da tarifa de energia elétrica aplicada no Piauí foi de 25,81% - e também o serviço, que ele julga muito ruim. “Na realidade, todo dia aqui falta energia. As fiações, parece que são de açúcar, qualquer chuvinha acaba tudo. É uma porcaria o serviço daqui”, comenta. Para evitar a perda de mercadorias, Claudionor precisa salgar as carnes para que não estraguem.

Problemas resolvidos com reforma em subestações, diz Eletrobras

Segundo informações obtidas junto à Eletrobras, a situação do fornecimento precário de energia dos bairros citados será solucionada a partir das reformas das subestações de Nazária e do Polo Industrial. Na subestação de Nazária foi implantado um transformador de maior potência, houve divisão de cargas e também foi construída uma linha de transmissão para atender somente as indústrias cerâmicas da região, como forma de amenizar o problema. Quanto à subestação do Polo Industrial Sul, uma empresa já foi contratada e está mobilizando pessoas para a construção de dois religadores que devem atender a região. A previsão do término das intervenções é até o final de novembro.

No que diz respeito a eletrodomésticos queimados em panes ou oscilações de energia, a Eletrobras orienta aos lesados que entrem em contato com o órgão, pois os procedimentos para o ressarcimento ou reposição de equipamentos elétricos danificados estão sob égide do Código de Defesa do Consumidor, Resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e módulo 9 do Procedimento de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional (PRODIST). A solicitação de ressarcimento pode ser feita via internet, pelo link:

http://www.eletrobraspiaui.com/ressarcimento.php, a partir do preenchimento de um formulário.

Clique aqui e curta Portal Meio Norte no facebook

Fonte: Lucrécio Arrais