Motociclista quase tem pescoço cortado por linha de pipa com cerol em Piripiri

Se estivesse em alta velocidade concertaza teria sido pior, disse a vítima

Algumas pessoas ainda insistem em soltar pipas em via publica com a linha coberta com cerol. Por pouco, Kerley Costa não teve seu pescoço cortado ou algo pior, como já aconteceu em alguns casos. Ele teve uma reação rápida e conseguiu evitar a tragédia.


Segundo Kerley,  ele seguia na Avenida João Bandeira Monte, na altura do bairro São João, no município de Piripiri. De repente, o motociclista sentiu a linha no pescoço.

"Senti a linha no meu pescoço e, rapidamente, puxei com a mão. Com a moto em movimento, a linha desenroscou da arvore que estava presa. Machucou, mas tive sorte por não ter nada mais grave. Se estivesse em alta velocidade, com certeza teria sido pior", explica Kerley.

Kerley disse ainda que após descer da moto, procurou quem estaria empinando a pipa, avistando um garoto e o abordando. "Ele disse que a pipa tinha caído na avenida e não sabia de quem era", comentou.

ENTENDA:

O (cerol) é aplicado diretamente na linha que será usada para empinar a pipa. A cola serve como aglomerante, enquanto o pó de vidro ou ferro serve como abrasivo. O resultado é uma linha extremamente cortante, que pode trazer riscos, (inclusive de morte) para quem aplica e para quem usa a linha com cerol. Além disso, as linhas com cerol trazem riscos para a vida selvagem (em especial pássaros), para pedestres, motociclistas e motoristas de carros conversíveis.

CLIQUE AQUI E CURTA O PORTAL MEIO NORTE NO FACEBOOK

Fonte: Piripiri repórter