Motorista foge após atropelar e matar ciclista chefe de cozinha em SP; veja

Chefe de cozinha ia todos os dias ao trabalho de bicicleta em um trajeto de 11 km

Um ciclista foi atropelado e morto no Butantã, perto da rodovia Raposo Tavares, na zona oeste de São Paulo. O motorista fugiu sem prestar socorro à vítima.


Motorista foge após atropelar e matar ciclista

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu um pouco antes da meia-noite deste sábado (24), na rua Ari Aps, altura do número 304, próxima ao km 13 da rodovia. Quando o resgate chegou, a vítima já estava morta.

José Aridelson de lima era chefe de cozinha e tinha de 37 anos. Ele costumava ir de bicicleta ao trabalho em um restaurante japonês. O trajeto era de cerca de 11 km. A vítima voltava para casa quando foi atingida pelo carro. O chefe de cozinha era casado e pai de três filhos.

Outro caso

Um outro caso de ciclista atropelado chocou as pessoas. David dos Santos Souza, de 21 anos, teve o braço arrancado ao ser atropelado na ciclofaixa por um carro na avenida Paulista no dia 10 de março. Ele ia para o trabalho, por volta das 6h, quando foi atingido pelo carro de Alex Kozloff Siwek, de 22 anos, que voltava de uma balada em uma casa noturna.O acidente aconteceu na altura da rua Maria Figueiredo, sentido Paraíso.

No acidente, pedaços de vidro do pará-brisa deceparam o braço direito de David, que ficou preso no carro. O motorista fugiu do local do acidente sem prestar socorro à vítima e, em seguida, jogou o braço amputado em um córrego na avenida Ricardo Jafet, zona sul da capital paulista. Só depois disso ele se apresentou à polícia e foi preso em flagrante.

Testemunhas que estavam na Paulista disseram que o carro de Siwek estava em alta velocidade e andava em zigue-zague na avenida. Um exame realizado pelo IML (Instituto Médico Legal) apontou que o motorista apresentava sinais de embriaguez.

Na última semana, a Justiça decidiu que Siwek não vai responder por tentativa de homicídio com dolo eventual, como era o objetivo do Ministério Público. O universitário será julgado por lesão corporal que prevê pena de seis meses a dois anos.

Fonte: r7