THE: Motoristas reclamam da falta de sinalização

THE: Motoristas reclamam da falta de sinalização

O maior problema está na engenharia de trânsito, que apresenta falhas

Motoristas reclamam da falta de sinalização nas ruas

Enquanto existem mais carros circulando nas ruas de Timon, o investimento em infraestrutura não segue o mesmo ritmo. É o que atestam os motoristas da cidade, quando reclamam da falta de sinalização e de fiscalização.

Segundo Camila Teresa, o maior problema está na engenharia de trânsito, que apresenta falhas. ?A gente encontra placas dizendo uma coisa e a sinalização horizontal diz outra. Os motoristas não sabem qual delas respeitam?, disse Camila, acrescentando que problemas nos semáforos também são constantes.

O taxista Luís Gonçalves lembra que, esta semana, presenciou um acidente de trânsito provocado por falta de sinalização. ?Uma carreta virou quando passou pelo quebra-mola que, além de ser muito alto, não era devidamente sinalizado?, conta Gonçalves. Para o taxista, situações como essas fazem com que Timon receba o título de ?terra sem lei?.

Número de multas deste ano já supera o de 2011

Com o aumento do número de veículo nas ruas, cresce também a quantidade de multas. Segundo informações do Departamento Municipal de Trânsito, a falta do cinto de segurança - entre os motoristas, ou andar sem capacete ou com excesso de passageiro - entre os motociclistas, são as principais infrações.

O DMTRANS possui 22 agentes atuando na cidade, além da Polícia Militar, que também age na fiscalização do trânsito. Segundo o presidente do órgão, Robert Gualter, somente o Departamento aplicou 3 mil multas em 2011.

?Esse ano, o número já foi ultrapassado?, afirma Gualter.

A cada blitz, com duração de uma hora, são apreendidas em média 20 motos e cinco carros. ?Geralmente fazemos duas blitze por semana, em dois ou três pontos diferentes?, disse Robert Gualter. As apreensões são de veículos com documentos atrasados ou sendo conduzidos por pessoas sem habilitação.

Fonte: Nayara Felizardo