Motos terão que superar desafios na prova do Piocerá 2015

A prova, que acontece em cidades do Piauí, como Teresina e Pedro II, e do Ceará, como Crateús, Quixadá e Beberibe, terá quatro dias de duração, com mais de 1.050 quilômetros de muita adrenalina

Chegou a vez das motos conhecerem o levantamento feito para a categoria no Rally Piocerá 2015, que também abrirá oficialmente o Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM). A organização divulgou o roteiro que desafiará os melhores pilotos do país, divididos em oito categorias (Master, Sênior, Executivo, Over 40, Over 50, Over 55, Júnior e Novato), na disputa da 28ª edição da competição, entre os dias 25 e 30 de janeiro.

A prova, que acontece em cidades do Piauí, como Teresina e Pedro II, e do Ceará, como Crateús, Quixadá e Beberibe, terá quatro dias de duração, com mais de 1.050 quilômetros de muita adrenalina. Ao todo, serão oito etapas, sendo duas por dia.

Desafiando os pilotos, o levantamento realizado em oito dias por Edimilson J. Campos, Mateus Rebouças e Ehrlich Cordão mostrou uma enorme diversidade de terrenos durante a prova, como estradinhas com pe-dras, cascalhos, terra, areia fofa e dunas. Como recompensa, eles terão paisagens exuberantes e lugares históricos em vários pontos, verdadeiros cartões postais. O monumento do Jenipapo, marco da luta armada pela Independência do Brasil, por exemplo, é uma verdadeira aula de história. Isso tudo sem contar os lagos, serras, fazendas e açudes, que apimentam as disputas da passagem da prova pelo sertão nordestino.

Vale lembrar que a organização já fez o levantamento do roteiro para as categorias carros 4x4, Motos Rally, Quadriciclos e UTVS, que terão um percurso diferenciado e com 1.069 quilômetros de trajeto total. Confira os detalhes aqui.

Em Teresina (PI), local da largada do primeiro dia, estão programadas várias atrações. Entre os dias 25 e 26 de janeiro, a capital abrigará as vistorias, briefings, apresentações de manobras radicais, palestras e exposições.
Inicial

A largada será na Ponte Estaiada. Até o primeiro neutro, na cidade de Altos, os trechos serão mesclados, entre trilhas, estradinhas de cascalho e pedras soltas.

Areia será obstáculo

Em seguida, os competidores seguirão até Campo Maior, onde o terreno já muda e começa a aparecer muita areia. O trajeto passará em frente ao Monumento do Jenipapo, marco da luta armada pela independência do Brasil, e seguirá para a cidade de Cocal da Telha.

Então, finalmente os pilotos chegarão a Pedro II. Nesta parte, os percursos serão compostos por estradas de terra, trilhas com muita areia fofa, que prometem apimentar o final do dia.

O segundo dia será o mais completo e difícil da prova. Os pilotos saem da Praça Domingos Mourão Filho, centro histórico da cidade, com muitas pedras e lajedos. Depois descem a Serra dos Matões e a partir daí começa um caminho com muita areia fofa, em uma região bastante seca, que atravessará a caatinga do sertão nordestino.

No primeiro neutro, no distrito de Cachoeira Grande, na BR-404, não haverá posto para abastecimento. Então, as equipes de apoio terão que levar o combustível para os pilotos. O trecho da rodovia é de terra e cascalhos, com aproximadamente 45 quilômetros. Depois, os competidores seguem até Poranga (CE), região composta por serras e com trechos de muita navegação até o vale do rio Poti. A chegada será na Praça da Estação, local de lazer da cidade de Crateús (CE).

O dia promete ser longo e exaustivo para os pilotos, que encontrarão estradinhas em piso natural e com muito cascalho solto, além de trechos rápidos, ótimos para acelerar e várias fazendas de gados para atravessar. Estes são os principais ingredientes do terceiro dia do Rally Piocerá.
O segundo neutro será em Cruzeta, entroncamento das Rodovias BR-226 e BR-020 e o terceiro, na cidade de Boa Viagem.

Depois, mais estradinhas de cascalho, laços e uma vegetação de caatinga com muitos mandacarus e cactos. Nesta parte, todos os açudes aparecem completamente secos, com muitas casas abandonadas pelo local. Na paisagem, só será possível encontrar água no açude de Fogareiro, já muito perto de Quixeramobim.

Até Quixadá, os pilotos poderão desfrutar de um visual magnífico. A chegada será na Praça José de Barros, no centro da cidade.

O último dia terá areia, estradinhas com cascalhos e ‘infinitos’ plantios de caju. O calor deverá ser uma dificuldade a mais. No final da prova, haverá um lindo caminho ao lado do Canal do Trabalhador. O final da prova será nas dunas, ao lado das usinas eólicas da região. A chegada em Beberibe (CE) será na Praça da Matriz, onde será feita a entrega das medalhas.

Clique aqui e curta Portal Meio Norte no facebook

 

Fonte: Jornal Meio Norte