Leishmaniose visceral: Movimento “O Cão não é Vilão!” acontece hoje

A intenção é alertar a comunidade e o poder público.


Movimento: ?O Cão não é Vilão!?

Neste domingo, às 16 horas, no Complexo Ponte Estaiada, a Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais - a APIPA, irá reunir protetores e simpatizantes da causa animal para uma marcha. A intenção é alertar a comunidade e o poder público para o problema da cadeia de transmissão de Leishmaniose visceral nas zonas urbanas. E enfatizar que é um erro ter a população canina como o principal vilão em relação à doença.

?O cão é a maior vítima da leishmaniose, mais conhecida como calazar, mas ele não é o principal vetor, pois quem transmite a doença é o mosquito, tanto para os cães quanto para os humanos e o que deve ser combatido é a proliferação desse mosquito em Teresina. Da mesma forma que existem campanhas anuais e frequentes em combate ao mosquito da dengue deveria existir a política de profilaxia para termos menos cães contaminados?, esclarece a coordenadora da APIPA, Conceição Braga.

Todos os dias, centenas de cachorros em Teresina são encaminhados para o Centro de Zoonoses por estarem abandonados nas ruas ou contaminados pela doença e, invariavelmente, serão sacrificados sem ter chance de tratamento, ou então esses animais são levados para universidade para serem usados em experimentações.

?Os donos dos animais têm que ter noção de que é preciso exercer uma posse responsável e que, se seu animal for contaminado, junto com o veterinário é feita uma avaliação, e na maioria dos casos a doença não tem cura, mas tem tratamento?, esclarece a Doutora em Medicina Veterinária, Roseli Klein, que é também presidente da APIPA.

Na sede da APIPA, muitos animais - cerca de 80 cães e 200 gatos - são recolhidos e tratados, mas se os donos tivessem a responsabilidade de cuidar dos seus bichos como se deve, com responsabilidade, amor e carinho, esses números seriam diferentes. Por isso a Associação, que vive de doações e de trabalho voluntário, precisa constantemente da ajuda das pessoas protetoras e simpatizantes da causa de defesa dos animais.

?Nossa maior necessidade é de ração para os animais, material de limpeza e atenção. Devemos muito às clínicas parceiras que nos ajudam sempre e aos voluntários que fazem o que podem. Neste domingo durante a marcha estaremos recebendo doações de ração e materiais de limpeza e toda ajuda é bem vinda?, ressalta Conceição.

Os maiores problemas que existem hoje em relação aos animais são: o abandono e os maus tratos. ?E ainda a falta de vontade política de agir em ações de combate ao mosquito transmissor do calazar e investimentos na profilaxia.

Em todo o mundo os animais doentes são tratados e o Brasil é o único país que não trata e aplica a política do extermínio dos animais contaminados?, conta indignada a Doutora Roseli Klein.

Fonte: Marcilany Rodrigues