Muitas empresas de Teresina aderiram ao Black Friday

Em Teresina, um número significativo de empresas aderiram a esse dia de preços promocionais.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (28) DO JORNAL MEIO NORTE

Clientes de todo o Brasil estão ansiosos pelo dia de amanhã (28), devido às ofertas prometidas por lojas de todos os setores, em mais uma edição da Black Friday. Em Teresina, um número significativo de empresas aderiram a esse dia de preços promocionais. Em cada um dos shoppings da cidade, cerca de 100 lojas devem estar com o preço de seus produtos mais baixo do que no restante do ano.

Além das cerca de 200 lojas localizadas nos shoppings de Teresina, há ainda aquelas do Centro comercial da capital e até mesmo nos bairros. Elas prometem descontos de até 70%. No entanto, é necessário ficar atento para evitar cair em fraudes realizadas por meio da maquiagem de preços, que consiste no aumento do valor de um produto poucos dias antes da data da promoção, com o objetivo de oferecer um "desconto" que deixa o preço igual ou superior ao valor não promocional.

Para ajudar o cliente a se livrar de empresas que não são confiáveis e de ofertas que não são vantajosas, o Procon/PI fez um lista com os principais cuidados na hora de comprar nestes locais que dizem ter aderido à Black Friday. Uma das principais dicas é verificar o preço real do produto e o valor com desconto. Isso vai ajudar o cliente a perceber se houve realmente uma queda no preço. Em relação à segurança, o Procon aconselha o cliente a ficar atento, no caso de compras pela internet, à política de privacidade da loja virtual e sua responsabilidade pelo armazenamento e manipulação de seus dados pessoais; imprimir e/ou salvar todos os documentos ou telas de computador ou aparelhos móveis, que demonstrem a compra e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios, etc.); evitar comercializar com sites que exibem como forma de contato apenas o número de um telefone, dentre outros.

Repórter: Pollyana Carvalho

 

 

Fonte: Pollyana Carvalho