Mulher que estudava com livros que achava no lixo se torna juíza

Começou trabalhar aos 12 anos em um canavial e hoje é juíza.

A trajetória de perseverança e dedicação de Antônia Maria Faleiros poderia virar filme com direito a premiação. De origem humilde, chegou a viver nas ruas e passou por dificuldades que pareciam não chegar ao fim. No entanto, deu a volta por cima e conseguiu reverter a situação.

Aos 12 anos de idade começou a trabalhar em um canavial e logo depois conseguiu uma vaga como empregada doméstica, mas os obstáculos só aumentavam. "Eu não podia dormir na casa da patroa. Então dizia para ela que eu morava com uma tia em um bairro distante e para minha mãe que morava com a patroa”, conta, emocionada.

Sempre curiosa e atraída pelo mundo da leitura, iniciou o que serviu como alicerce para todas as mudanças em sua vida: começou a colher folhas mesmo que sujas e livros que ia encontrando nas latas de lixo. Além disso, juntava todo material e transformava em apostilha para estudar.

Algum tempo depois decidiu fazer um concurso para ser oficial de justiça no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.Para surpresa de todos, conseguiu o terceiro lugar. Fez direito em uma Universidade e se tornou uma juíza respeitada. O segredo ela faz questão de repassar.

"Gosto de contar essa história para reafirmar: a filha de uma dona de casa simples e de um trabalhador rural pode sim alcançar o que quer. Todos nós podemos”,disse.

Image title


Fonte: Com informações do bestofweb