Mutirão de consultas atende 500 pessoas no Lineu Araújo

Cerca de 500 pessoas com diabetes foram atendidas neste sábado

O 15º Mutirão de Consultas realizou o atendimento em diversas áreas para pacientes com diabetes no sábado (10), no Hospital Lineu Araújo. Entre as especialidades atendidas, foram realizadas consultas com endocrinologista, assim como nas áreas de ortopedia, ultrassonografia, neurologia e oftalmologia. Uma equipe de cirurgiões também participaram do mutirão realizando pequenas cirurgias.

De acordo com a diretora de Assistência Hospitalar da Fundação Hospitalar de Teresina (FHT), Jesus Mousinho, 10 médicos fizeram parte da ação, sendo que cada um atendeu de 45 a 50 pacientes, totalizando uma média de 500 atendimentos ao longo do dia. “O objetivo é diminuir as demandas reprimidas em algumas especialidades e garantir atendimento para as pessoas que estão na fila de espera”, destacou.

A diretora enfatizou também que o Lineu Araújo não atende somente ao município de Teresina, mas todo Piauí, por isso o mutirão foi uma estratégia encontrada para melhorar o sistema, diminuindo o período em que os pacientes esperam para ser atendidos por médicos dentro de suas especialidades. Já são 5 meses de ação e mais de 5 mil pacientes atendidos.

Lana Andrade, que possui diabetes, participou do mutirão de consultas pela primeira vez. Ela saiu cedo de casa no Residencial Torquato Neto, na zona Sul de Teresina, para se consultar com um médico endocrinologista para iniciar o tratamento da doença. “Eu estava esperando há dois meses para ser atendida, quando soube do mutirão através do posto de saúde do meu bairro e logo fui encaminhada”, frisou a dona de casa, acrescentando que não tinha previsão para ser atendida por um médico especialista pela fila de espera regular.

Quem também saiu logo nas primeiras horas do dia da zona rural do município de Altos com destino ao Lineu Araújo, foi a aposentada Maria da Silva Teixeira, de 75 anos, que já faz o tratamento de diabetes no hospital, mas precisava de uma nova avaliação médica sobre a situação da sua visão, que está sendo afetada em consequência da enfermidade. “Não tenho condição para pagar uma consulta particular, mas através do mutirão posso ser atendida por bons médicos. Eu preciso realizar uma cirurgia no olho, pois quase não consigo mais enxergar de um olho”, declarou.

Por se tratar de mutirão integrado, o atendimento aconteceu também nos Hospitais dos bairros Parque Piauí, Satélite, Buenos Aires e Santa Maria da Codipi, mas somente com a realização de exames, como ultrassonografia. Segundo Jesus Mousinho, os mutirões devem continuar e serão destinados sempre para a demanda que surgir. “Essa ação tem dado resultados positivos, e tudo que se faz e tem um retorno positivo para melhorar a condição de vida da população tem que continuar”, pontuou.

Fonte: Waldelúcio Barbosa