Mutirão do Lineu Araújo diminui fila de espera no Piauí

Mutirão do Lineu Araújo diminui fila de espera no Piauí

Mutirão para consulta na área de neuropediatria no Hospital Lineu Araújo já registra mais de mil crianças atendidas.

A fila de espera por uma consulta na área de neuropediatria no Hospital Lineu Araújo já registra mais de mil crianças. Na tentativa de diminuir esse número, estão sendo realizados mutirões no hospital. Nesse sábado foram atendidas, no terceiro mutirão dos últimos meses, 140 crianças com problemas neurológicos.

Uma delas foi o filho de Lúcia Bezerra dos Santos, Dálisson dos Santos, de 11 anos, que tem um tumor benigno na cabeça. Ela conta que há dois anos está na fila de espera por uma consulta no hospital e que se emocionou quando recebeu a ligação do hospital.

?Eu precisei consultá-lo em um hospital particular porque não conseguia vaga no Lineu. Quando soube que seria atendida nesse sábado eu chorei. Eu chorei porque é muito difícil para uma mãe ver seu filho chorar de dor e essa dor não passar nem com remédio?, disse.

Já Maria do Livramento da Rocha, mãe de Pablo Cristium Soares, de seis anos, conta que há três anos está na fila de espera e vê boa parte de seus problemas sendo resolvidos com esse mutirão. Seu filho já está há um mês sem tomar remédio, pois necessita de uma receita médica, para comprá-lo.

?Essa consulta vai me ajudar muito. Meu filho é hiperativo e toma remédios com frequência, mas já está sem tomar porque estávamos esperando falar com o médico para que ele receitasse novamente?, disse a mãe.

Foram atendidas crianças com os mais diversos problemas neurológicos, como: epilepsia, paralisia cerebral, macrocefalia, hidrocefalias, entre outros. Após ser consultada pelo neuropediatra, a criança foi encaminhada para realização de exames.

Nas duas etapas anteriores realizadas pela FMS, nos dias 21 de julho e 11 de agosto, o mutirão já atendeu mais de 200 pacientes, oriundos de Teresina e do interior do Estado.

A neuropediatra Alzira Castro, uma das médicas que participaram do mutirão, explica que a ideia dos mutirões foi motivada pela grande procura, que tem ocasionado uma fila de espera crescente.

?Não foi a procura que cresceu, mas a oferta continua pequena e por isso a fila só tende a crescer. Os mutirões, que estão sendo realizados a cada 15 dias, tendem a minimizar a angústia das mães, que serão atendidas com mais rapidez?, pontuou.

Fonte: Pollyanna Carvalho