Estudos comprovam que namorar realmente engorda, diz médico

Estudos comprovam que namorar realmente engorda, diz médico

Solteiros têm maior preocupação com a forma, por questão de aparência

A publicitária Paula Egas perdeu 7 kg nas últimas dez semanas. Com a ajuda do noivo Renato, que é cozinheiro profissional, ela adotou um novo cardápio, com refeições mais leves, usando cereais integrais, comendo de três em três horas.

Mas nem sempre foi assim. No primeiro ano de namoro, a paulistana, que hoje mora em Curitiba, ganhou 15 kg. ?Ele me conquistou pelo estômago?, brinca. No começo do namoro, há três anos, ela pesava 80 kg. Chegou a 105 kg, antes da dieta atual, e está com 98 kg no momento.

O caso de Paula é mais um relato de um problema comum que ocorre com pessoas após o início de um relacionamento estável. O ganho de peso nessas situações não é apenas um mito: é confirmado por estudos, segundo Adriano Segal, psiquiatra ligado à Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso).

?A alimentação no namoro já muda. São mais programas para restaurantes, programas mais caseiros, digamos?, aponta o médico.

O especialista afirma que, embora aconteça também entre as mulheres, o ganho de peso na relação é mais comum nos homens.

Segal indica alguns fatores para explicar o que acontece. Em primeiro lugar, os solteiros costumam ter uma preocupação maior com a forma por uma questão de aparência ? eles querem se manter atraentes.

Entre os casados há um segundo fator: eles são, em média, mais velhos do que os solteiros, e essa diferença de idade já explica, em parte, a dificuldade de manter a forma. A partir do segundo filho, as mulheres e seus maridos apresentam tendência ainda maior de ganhar peso.

Em terceiro lugar, Segal aponta uma questão que atinge os homens solteiros e que moram sozinhos. Muitas vezes, eles não sabem cozinhar. Fora de casa, eles acabam fazendo menos refeições. Esta alimentação, embora não seja a mais saudável, tende a engordar menos.

Dicas para o casal

A relação a dois pode servir também como uma ajuda para recuperar a boa forma. ?Especialmente se eles estiverem em uma boa relação, se cuidar estimula o outro a se cuidar também?, diz o psiquiatra.

A perda de peso passa por mudanças na alimentação e pela atividade física, e o casal pode se ajudar no processo. Na hora de jantar, Segal aconselha que os dois alterem o cardápio.

?Você não precisa comer a velha comida francesa toda vez que sai, pode comer algo mais saudável?, afirma. Em vez de fondue, que é muito gorduroso, o casal pode optar pela comida japonesa, por exemplo. Além disso, é preciso maneirar na bebida. O vinho é saudável quando se bebe apenas uma taça, mas o abuso leva ao ganho de peso.

É o que acontece com Paula e Renato. ?Dieta não é fácil mesmo, mas com a ajuda do noivo, tudo está ficando mais fácil de levar. O apoio dele e a ajuda com o preparo dos alimentos são o que mais me estimula?, diz a publicitária.

Com o novo cardápio que Renato faz em casa, na versão "light", os dois estão perdendo peso. Paula diz que o noivo não tem o hábito de se pesar, mas que a aliança frouxa no dedo é um sinal da evolução.

As atividades físicas -- que Paula e Renato não fazem por falta de dinheiro para pagar a academia, segundo ela -- podem ser feitas em conjunto ou não, mas os dois deveriam praticar esportes, sugere o médico.

?As atividades de lazer podem ser em conjunto. Que seja uma caminhada, uma pedalada?, indica Segal. ?Mas não há uma necessidade de fazer tudo junto. Sempre é bom ter um nível de individualidade?, pondera.

A individualidade só não vale para uma atividade específica, que não pode ser ignorada. ?O sexo conta, sim, enquanto exercício físico. Uma noitada boa pode queimar muitas calorias?, afirma o médico.

Fonte: G1