“Não notamos o acidente”, diz cobradora sobre ciclista atropelado

Pedro Nikolay morreu ao ser atingido por um ônibus na avenida Vieira Souto

A cobradora de ônibus Francisca Marlene Pereira afirmou que ela e o motorista não perceberam o momento em que o coletivo da linha 433 atropelou um ciclista na praia de Ipanema, na manhã desta terça-feira (30). Os dois eram os únicos presentes no ônibus e prestaram depoimento no fim da tarde de terça sobre a morte de Pedro Nikolay, de 30 anos.


?Não notamos o acidente?, diz cobradora sobre ciclista atropelado

O delegado Rodolfo Waldeck, titular da Delegacia do Leblon (14ª DP), indiciou por homicídio culposo - sem intenção - o motorista Onofre Marques dos Santos, de 59 anos. Segundo ele, foi impossível perceber a batida, que ocorreu na parte de trás do veículo.

A cobradora Francisca Pereira disse que foi surpreendida ao ser informada sobre a morte do ciclista.

? Dormi o dia inteiro. Quando acordei, por volta das 17h, recebi a ligação. Não vi televisão, não estava sabendo de nada. O que eu posso afirmar é que eu trabalho com ele e que eu não vi nada.

Em entrevista na porta da Delegacia do Leblon, Francisca defendeu a postura profissional do motorista.

? Eu nunca vi ele avançar sinal. Se ele ocultou [a batida], eu não entendi. Não conversei com o motorista, a gente não se comunica.

Segundo testemunhas, o condutor teria furado o sinal na avenida Vieira Souto, na altura da rua Henrique Dumont. No momento do acidente, Pedro Nikolay estava atravessando o cruzamento em alta velocidade em um treino de ciclismo. Havia 20 atletas no grupo, porém Pedro estava mais para trás.

Segundo o delegado Waldeck, as imagens do circuito interno do coletivo foram analisadas, mas não registraram o momento exato do atropelamento. O material será encaminhado à perícia para saber se Santos avançou, ou não, o sinal de trânsito antes de atingir Nicolay.

Ao longo da terça-feira, a polícia ouviu familiares da vítima e pessoas que presenciaram o atropelamento. Para ajudar nas investigações, a 14ª DP solicitou também imagens de câmeras de segurança da região.

Segundo Julio Alfaya, presidente da Federação Estadual de Triatlhon, a pista em que ocorreu a batida costuma ser utilizada por ciclistas para treinamentos naquele horário. Existem placas alertando aos motoristas sobre a presença dos esportistas. Bombeiros levaram Nicolay para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, mas ele não resistiu aos ferimentos.

Fonte: r7