Nova campanha de vacinação contra HPV inicia no mês de março em Teresina

Além disso, é nessa época da vida que a vacinação proporciona níveis de anticorpos muito mais altos que a imunidade natural produzida pela infecção do HPV.

A nova Campanha de Vacinação contra o HPV em Teresina tem início no mês de março. Este ano, a campanha traz duas novidades: a oferta da vacina será ampliada para as meninas na faixa etária de 09 a 11 anos de idade e também será ofertada para as mulheres de 14 a 26 anos de idade vivendo com HIV.

A campanha para as adolescentes será realizada nas Unidades Básicas de Saúde e nas escolas públicas e particulares da cidade. "Vamos montar uma estratégia semelhante a realizada ano passado, indo de escola e em escola para vacinar as meninas", frisou o presidente interino da FMS, Francisco Pádua.

Estudos mostram que a melhor ocasião para vacinação contra o HPV é na faixa etária de 9 a 13 anos, antes do início da atividade sexual e enquanto os pais ainda mantêm o hábito de levar os filhos para tomar outras vacinas.

Além disso, é nessa época da vida que a vacinação proporciona níveis de anticorpos muito mais altos que a imunidade natural produzida pela infecção do HPV.

A vacina HPV quadrivalente foi incluída no Calendário Nacional de Vacinação em março de 2014, tendo como população alvo as meninas de 11 a 13 anos de idade. A partir desta nova campanha, o Ministério da Saúde amplia a faixa etária de inclusão, garantindo uma maior cobertura contra a doença.

Com relação ao novo público introduzido na campanha, mulheres de 14 a 26 anos vivendo com HIV, a FMS está definindo a logística a ser utilizada e local de vacinação.

Esta população foi incorporada considerando que as complicações decorrentes do HPV ocorrem com mais frequência em pacientes portadores de HIV e da AIDS.

Nesse sentido, estudos apontam que o câncer cervical tem cinco vezes mais probabilidade de se desenvolver em mulheres HIV positivas do que na população geral.

O câncer do colo do útero é uma doença grave que pode levar à morte. No Brasil, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais frequente que acomete as mulheres e faz, por ano, 5.264 vítimas fatais.

Fonte: JMN