Novos advogados firmam obrigação com a Ordem dos Advogados do Brasil - Piauí

Novos advogados firmam obrigação com a Ordem dos Advogados do Brasil - Piauí

Esta semana cerca de trinta novos advogados foram admitidos nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí (OAB/PI)

Trabalhar seriamente e ser um profissional honesto e com extrema dedicação aos princípios éticos, aos clientes e ao Direito. Esses são os princípios a serem seguidos pelos novos profissionais da advocacia.

Essa semana, cerca de trinta novos advogados foram admitidos nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí (OAB/PI) e firmaram compromisso com a profissão.

Para a oradora da solenidade e nova advogada Isabela Veloso, esse é um momento mais que marcante em sua formação. ?Pelo menos em cada 2 meses a OAB realiza esse evento, que tem grande importância, porque é o que marca o ingresso na profissão de advogado. Ao prestar compromisso e receber a carteira o advogado está legalmente habilitado a exercer os ofícios da profissão?, coloca.

Isabela acredita que os novos advogados devem ter ciência de que estão representando direitos de uma nova sociedade, direitos novos e transversais, os quais muitos ainda não se encontram codificados ou sequer reconhecidos por alguns Tribunais.

?O maior desafio será conseguir quebrar as barreiras que infelizmente ainda existem no mundo jurídico e conseguir representar os mais diferentes segmentos da sociedade atual?, acrescenta.

Antigamente a maioria dos alunos do curso de Direito saía da faculdade com o sonho da estabilidade que uma carreira pública pode propiciar e sequer considerava a hipótese de advogar, hoje já se percebe a mudança de pensamento, a profissão advogado vem se tornando cada vez mais atrativa para os bacharéis de Direito, até por influência dos grandes nomes que o Estado vem formando nessa área. Nesse sentido, o mercado de trabalho está bastante competitivo, exigindo mais dos profissionais.

?Para se destacar na carreira de advogado é essencial gostar do ofício, mas ainda mais importante seria uma especialização profissional na área com que você mais se identifica, desta forma fica possível representar melhor os interesses dos clientes.

E sempre buscar se atualizar, posto que o Direito se encontra em constante mutação?, completa Isabela Veloso ao frisar que o advogado precisa ter como premissa principal a busca da justiça, procurando sempre harmonizar conflitos de interesses.

?É preciso ter em mente que em um país democrático todos devem ser representados, como é garantido constitucionalmente?, finaliza.

Novos profissionais têm apoio da Comissão do Jovem Advogado

Na OAB Piauí, a Comissão do Jovem Advogado é fundamental para o fortalecimento da Ordem para se ter uma advocacia cada vez mais forte e unida.

Ela atua na intenção de oferecer a esses novos profissionais a integração e participação nos destinos da Ordem, apoiando e organizando ações que mobilizem, na instituição, questões de relevância para o desenvolvimento das atividades profissionais dos advogados em início de carreira, como também a difusão da justiça e cidadania na nossa sociedade.

De acordo com o Presidente da Comissão, Francisco Felipe Santos, a Comissão prepara os novos inscritos, fazendo com que o jovem conheça a OAB e dê importância à mesma.

"Dessa forma eles contribuem para o aperfeiçoamento da profissão, estimulando a vida associativa como passo fundamental para a formação dos quadros que conduzirão a Entidade no futuro", comenta ao ressaltar que esses novos profissionais têm vários desafios pela frente.

"Os desafios vão desde a primeira audiência para quem nunca estagiou, passando pela formação de uma clientela até a insegurança na hora de cobrar honorários, e as chances de falhar serão imensas, mas a vontade de vencer nunca deve ser menor que o medo de perder.

O importante é seguir em frente, perseguir seus ideais, trabalhar com planejamento e foco, sucesso é a consequência do que você idealiza e consegue colocar em prática", acrescenta.

Estudantes se preparam para o Exame ainda na faculdade

O Exame de Ordem, tal como é hoje, é uma das formas de se realizar na profissão. Além de ser condição obrigatória para se advogar, a carteira da OAB também é exigida para prestar concurso para diversos cargos públicos, como procurador do Estado e advogado da União.

Sem ter o registro profissional, os advogados não são reconhecidos. É por isso que o estudante de Direito, Paulo Victor de Oliveira, já está se preparando para o Exame. "Já estou no ritmo de estudos. Respondo questões da primeira fase de exames anteriores e assisto a videoaulas on-line sobre assuntos cobrados na prova", comenta.

Além disso, o graduando conta, que passada a primeira fase do exame, é chegada a hora de fazer a matrícula em curso preparatório e praticar tudo que geralmente tem que saber para conseguir aprovação na segunda fase.

"Pelos exames que respondi percebi que o nível da prova é bastante elevado, mas acredito que com a prática eu vá me adequando e tendo uma base do que pode ser cobrado", acrescenta Paulo Victor ao ressaltar que sua pretensão é entrar na carreira de advocacia e tentar conciliar a profissão com um preparatório para concurso.

Francisco Felipe Santos, presidente da Comissão do Jovem Advogado da OAB/PI, afirma que é preciso que os estudantes já tenham essa preocupação e ainda busquem mais conhecimentos, pois o mercado, hoje, exige um ótimo e fluente conhecimento das áreas tradicionais do Direito (cível, penal, trabalhista, tributário, administrativo, constitucional).

Segundo ele, a fluência nessas áreas é requisito de sobrevivência em um mercado infestado por concorrentes do mais alto nível.

Fonte: Aline Damasceno