Número de mortos após terremoto na região da Itália chega a 200

Equipes de resgate usavam escavadeiras e as próprias mãos em na busca por sobreviventes

O número de mortos após o forte terremoto que atingiu a região central da Itália, na madrugada de segunda-feira (6), subiu para a 200, segundo balanço divulgado pela Defesa Civil do país nesta terça (7). As equipes de busca e salvamento registram o desaparecimento de 34 pessoas e informam que ao menos 1.500 estão feridas e mais de 70 mil, desabrigadas.

Os moradores das regiões afetadas continuam assustados, pois dois pequenos abalos - um deles com cerca de dois segundos de duração - foram registrados na madrugada desta terça. Muitas pessoas que tiveram as casas destruídas, danificas ou desocupadas passaram a noite em carros ou em tendas montadas por equipes de resgate, que buscam por sobreviventes.

Equipes de resgate usavam escavadeiras e as próprias mãos na terça-feira em na busca por sobreviventes. Mais de 24 horas depois de que o tremor sacudiu a região de Abruzzo, equipes de emergência retiraram dois estudantes na manhã de terça-feira dos escombros de prédios em L"Áquila, a cidade de montanhas medieval de 68 mil habitantes que foi a mais atingida pelo desastre.

Cerca de 100 pessoas foram retiradas dos escombros, mas com muitos ainda desaparecidos a defesa civil diz que as esperanças de encontrar mais alguém com vida diminui a cada hora.

O terremoto, que registrou entre 5,8 graus e 6,3 graus na escala Richter, ocorreu pouco depois das 3h30 da manhã de segunda-feira (horário local), surpreendendo os moradores que dormiam em suas casas, derrubando igrejas antigas e outras edificações em 26 cidades.

Autoridades da defesa civil estimaram que dois terços das edificações ruíram em L"Áquila.

Estado de emergência

O primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi decretou estado de emergência na região afetada. O premiê cancelou a agenda - iria viajar para Moscou - e visitou de helicóptero a região atingida.

L"Aquila, pequena cidade medieval de 60 mil habitantes que foi a mais atingida pelo tremor, vive uma noite de "cidade fantasma".

Berlusconi fez uma reunião extraordinária com o conselho de ministros e anunciou o desbloqueio de 30 milhões de euros do fundo de emergência. "É uma tragédia sem precedentes nos anos recentes?, disse o primeiro-ministro.

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira que doará US$ 50 milhões em ajuda de emergência para os desabrigados pelo terremoto.

O Papa Bento XVI rezou pelas vítimas, em particular pelas crianças, informou o escritório de imprensa do Vaticano. "O Papa expressa sua dor à população afetada e oferece orações pela vítimas, em particular pelas crianças", diz a nota.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma nota de condolência ao seu colega italiano, Giorgio Napolitano, por conta da tragédia.

Fonte: g1, www.g1.com.br