Número de mortos pela chuva no Rio sobe para 224

uma pessoa que havia sido resgatada na quarta-feira e estava no Hospital Azevedo Lima não resistiu aos ferimentos e morreu

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro encontrou mais um corpo na manhã deste domingo, no Morro do Bumba, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. Com isso número de mortes causadas pela chuva no Estado subiu para 224.

No sábado, uma pessoa que havia sido resgatada na quarta-feira e estava no Hospital Azevedo Lima não resistiu aos ferimentos e morreu. De acordo com o levantamento dos bombeiros, eram 33 mortos somente na comunidade, 141 na cidade de Niterói.

Conforme o balanço dos bombeiros, o município do Rio registra 63 vítimas fatais - 28 no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, na região central. Em São Gonçalo, o número de mortos é 16. A corporação ainda contabiliza mortes em Petrópolis, Magé, Paracambi e Nilópolis.

Cinquenta PMs fazem o isolamento do local, enquanto 90 Bombeiros trabalham nos resgates junto com 18 homens da Força Nacional. Vinte e quatro operam as máquinas: oito escavadeiras de grande porte e quatro retroescavadeiras.

Entre as vítimas fatais estão uma criança, cuja idade não foi identificada, e uma mulher. Outros três corpos, de três mulheres, foram encontrados nos escombros. Um deles foi identificado como sendo de Nádia Carvalho, 37 anos.

O deslizamento ocorreu aproximadamente às 19h30, soterrando cerca de 50 casas. As equipes do Corpo de Bombeiros chegaram ao local às 20h50. O comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, coronel Paulo Machado, disse que encontrar sobreviventes em casos como esse é mais difícil que no terremoto no Haiti, onde foram encontradas pessoas vivas após 15 dias de buscas.

"Ao contrário de desastres como do Haiti, onde pessoas foram encontradas após 15 dias, em um deslizamento como este é muito difícil encontrar sobreviventes. O trabalho que estamos realizando aqui é tão intenso quanto o que realizamos em Angra. Ainda há esperanças. Enquanto houver, vamos continuar trabalhando", disse o coronel.

O secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, afirmou que, em casos de deslizamentos de terra, é mais difícil a formação de bolsões de ar que permitam a respiração dos soterrados por mais tempo. Assim, a tarefa de encontrar sobreviventes fica mais difícil.

Mortes por cidade

De acordo com os Bombeiros, o maior número de vítimas fatais está em Niterói (141). A cidade do Rio de Janeiro teve 60 óbitos por causa das chuvas, seguida de São Gonçalo (16). As cidades de Nilópolis, Paracambi, Petrópolis e Magé tiveram uma morte cada. A corporação afirma que não tem um balanço de desabrigados e desalojados, já que as prefeituras dos municípios atingidos ainda não informaram esses dados.

Doações

A prefeitura do Rio de Janeiro indicou endereços de unidades da Guarda Municipal onde podem ser entregues doações para vítimas das chuvas. A administração municipal afirma que a intenção é arrecadar colchonetes, alimentos não-perecíveis, água, além de roupas. Os endereços são:

-Centro Administrativo São Sebastião

Rua Afonso Cavalcanti, 455 - Cidade Nova;

-Cruz Vermelha

Praça Cruz Vermelha, 10 - Centro;

-Centro De Referência Da Assistência Social Germinal Domingues

Rua Ambiré Cavalcanti, 95 - Rio Comprido;

-Quadra do Gres Mangueira

Rua Visconde de Niterói, 1072;

-Centro de Referência Especializado da Assistência Social Maria Lina

Rua São Salvador, 56 - Laranjeiras;

-Centro de Referência Especializado da Assistência Social Arlindo Rodrugues

Rua Desembargador Isidro, 48 - Tijuca;

-Centro de Referência da Assistência Social Rinaldo de Lamare

Avenida Niemeyer, 776 - São Conrado;

-Região Administrativa Jacarezinho

Praça da Concórdia;

-Quadra Escola de Samba Jacarezinho

Avenida Dom Helder Câmara em frente ao nº 2066

Atendimentos: 482 pessoas do Jacarezinho, 30 famílias do Morro do Urubu (Piedade), 40 famílias da Vila União (Manguinhos), 40 famílias da Vila Maracá (Tomáz Coelho);

-4ª Coordenadoria de Assistência Social

Rua da Regeneração 654 - Bonsucesso;

-Centro de Referência da Assistência Social Anilva Dutra Mendes

Posto de Saúde Nagib Farah - Rua Antônio Albuquerque s/nº - Jardim América;

-5ª Coordenadoria de Assistência Social

Rua Capitão Aliatar Martins, 211;

-Centro de Referência Especializado da Assistência Social Professora Márcia Lopes

Rua carvalho de Souza, 274 - Madureira;

-6ª Coordenadoria de Assistência Social (Subprefeitura da Zona Norte)

Rua Luiz Coutinho Cavalcanti, 576 - Guadalupe;

-Coordenadoria de Assistência Social Francisco Sales Mesquita (RA da PAVUNA)

Rua Sargento de Milícias s/nº - Pavuna - ao lado da Delegacia;

-7ª Coordenadoria de Assistência Social

Estrada do Guerenguê, 1630 - Curicica;

-Centro de Referência Especializado de Assistência Social Daniela Peres

Rua Albano, 313 - Praça Seca;

-Creas Adailza Sposati

Rua Professor Carlos Venceslau, 211 - Realengo;

-Centro de Referência da Assistência Social Heloneida Studart

Rua Rangel Pestana, 510 - Bangu;

-9ª Coordenadoria de Assistência Social

Rua José Euzébio s/nº - antiga rua do Rádio - Campo Grande;

-Centro de Referência da Assistência Social Cecília Meireles

Diretor: Devanir. Telefone: 9461-2856 e Ângela - 8684-8444

Rua Olinda Elis, 470 - Rampa 4 - 3º andar - Campo Grande;

-10ª Coordenadoria de Assistência Social

Avenida Brasil s/nº - Santa Cruz (esquina com avenida Padre Guilherme Decaminada);

-Centro de Referência Especializado da Assistência Social Padre Guilherme Decaminada

Rua Lopes Moura, 46 - Santa Cruz;

-Plaza Shopping (Niterói)

Rua Rua Quinze de Novembro, 8 - Niterói;

-Carioca Shopping

Estrada Vicente de Carvalho, 909 - Zona Norte;

-Cadeia de Supermercados Pão de Açúcar (todas as 99 lojas no estado Rio estão recebendo);

-Lamsa (empresa que administra a Linha Amarela)

Na própria Linha Amarela, na central Passe Expresso;

-Escola de Propaganda e Marketing (ESPM)

Rua do Rosário, 90 - Centro;

-Instituto Abel

Rua Mario Alves, 2 e Avenida Roberto da Silveira, 29 - Niterói.

Fonte: Terra