Número de mortos pelo terremoto na Turquia cai para 51

Número de mortos pelo terremoto na Turquia cai para 51

Anteriormente, haviam sido anunciadas 57 mortes

As autoridades turcas revisaram para baixo o registro do terremoto que atingiu nesta segunda-feira a província turca de Elazig (leste), anunciando a morte 51 pessoas e 74 feridos.

O vice-primeiro-ministro turco Cemil Cicek havia anunciado, antes, a morte 57 pessoas e mais de 50 feridos.

O Centro de Pesquisas dos EUA registrou o terremoto com magnitude 5,9. O Observatório de Kandilli, na Turquia, afirma que o terremoto teve magnitude 6 e teve seu epicentro em Basyurt-Karakocan, por volta das 4h30, no horário local - 23h30 no horário de Brasília.

As vítimas foram registradas em cinco localidades próximas ao epicentro, em Karakoçan. A província atingida pelo terremoto é atravessada por uma ativa falha sísmica na Anatólia Oriental, disse o governo de Elazig em seu site.

Segundo a agência de notícias Anatólia, mais de 20 tremores secundários foram registrados na região, o mais intenso, de magnitude 5,5.

O governador Muammer Erol, citado pelas redes de televisão, declarou que as equipes de resgate conseguiram chegar a todas as zonas atingidas.

"Não há problemas de comunicação, as equipes de socorro já foram enviadas a essas localidades. Os feridos estão sendo tratados nos hospitais", afirmou à rede de notícias NTV.

O terremoto foi registrado às 4h32 locais (23h32 de Brasília) e gerou pânico durante a noite. Nesta segunda-feira, as pessoas acompanhavam emocionadas os trabalhos de resgate. Pelo menos quatro mortos eram crianças.

As residências destas localidades geralmente são construídas com argila, sendo pouco resistentes aos abalos sísmicos, frequentes na região. Foram exatamente essas casas que desabaram, enquanto que as construídas com cimento não sofreram maiores danos.

Os socorristas chegaram nesta segunda-feira de manhã às áreas afetadas e realizaram durante horas os trabalhos de busca por sobreviventes, constatou um jornalista da AFP no povoado de Okcular, um dos mais afetados pelo terremoto, onde 18 pessoas morreram.

As ambulâncias transportavam os feridos deste povoado de pouco mais de 800 habitantes para os hospitais de Elazig.

Uma equipe do Crescente Vermelho também chegou ao local e começou a distribuir barracas e comida quente para os moradores em meio ao intenso frio.

Várias mulheres e crianças se reuniram em torno de uma fogueira para se aquecer, observando os escombros de suas casas.

O Crescente Vermelho montou o seu quartel-general na escola primária de Okçular, enquanto uma unidade da Polícia fazia a segurança nas imediações do povoado, localizado próximo a uma montanha de 1.800 metros de altura.

Os terremotos são frequentes na Turquia, um país atravessado por diversas falhas sísmicas. Dois terremotos deixaram 20.000 mortos em agosto e novembro de 1999 no noroeste, uma região industrial densamente povoada.

A Turquia frequentemente sofre com terremotos. O maior deles, com magnitude 7,4, matou 18 mil pessoas em agosto de 1999.

Fonte: g1, www.g1.com.br