Oficina capacita internos e estimula a ressocialização de detentos

Internos produzam e consertem móveis utilizados no próprio sistema

A Secretaria de Justiça do Estado (Sejus) recuperou todo o maquinário e equipamentos da Colônia Agrícola Major César Oliveira (CAMCO), com o objetivo de reativar a oficina de marcenaria, através da qual os internos produzem e consertam móveis utilizados no próprio sistema prisional, além de terem a oportunidade de capacitação profissional. Atualmente, oito internos trabalham na oficina de marcenaria da Major César, ativa desde o mês de junho deste ano.

O trabalho é desenvolvido nos turnos da manhã e tarde, de segunda a sexta, com a orientação de um mestre marceneiro. Segundo o gerente da Colônia Agrícola, Márcio França, a Secretaria de Justiça solicitou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a doação de madeira para a execução dos trabalhos.

“Com a madeira doada, os internos produzem e consertam carteiras escolares utilizadas nos módulos de ensino do próprio sistema. Além disso, estão sendo confeccionadas portas de madeira para a Penitenciária Irmão Guido, além de prateleiras para a biblioteca da Penitenciária Feminina de Teresina”, pontua.

O interno João Batista trabalha há mais de dois meses na oficina de marcenaria da Major César. “Eu já tinha vontade de aprender esse ofício e agora tenho a chance de praticar. Quando eu sair daqui, sei que estarei capacitado para trabalhar e conseguir um emprego digno nessa área”, afirma.

Além de buscar a recuperação dos internos, a atividade na oficina de marcenaria vai possibilitar a remissão de pena. “A cada três dias trabalhados, os internos poderão ter suas penas reduzidas em um dia”, informa o gerente da Major César, Márcio França.

O secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, destaca o trabalho de ressocialização que vem sendo desenvolvido nas unidades penitenciárias do Piauí. “Temos a meta de contemplar 60% da população carcerária com ações nas áreas de educação, produção e atividades religiosas e esportivas, instrumentos importantíssimos na recuperação e, consequentemente, na própria reintegração do interno à sociedade”, afirma.

Projeto de teatro na Penitenciária Feminina promove reintegração social

A Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus) lançou ontem (25), na Penitenciária Feminina de Teresina, o projeto de teatro “A mim resta a sua visita!”, que trabalha a manifestação artística junto às internas da unidade para promover ações visando à ressocialização. O projeto é coordenado pela atriz e professora Sandra Loiola, com o apoio da gerente da Penitenciária Feminina, Socorro Godinho, e conta com a colaboração de voluntários. Através do projeto, a Sejus reafirma seu compromisso na promoção dos mecanismos de reintegração social.

Segundo Sandra Loiola, o projeto de teatro promove um espaço de expressão artística e acolhimento entre as internas no ambiente penitenciário. “A proposta é humanizar e integrar todo o sistema em uma atmosfera de sensibilização”, diz.

A atriz Sandra Loiola realiza um projeto de teatro na Penitenciária Feminina desde novembro de 2014, realizando aulas teóricas e práticas, com um grupo de internas.

O resultado do projeto é sentido pela própria direção da penitenciária. A redução de medicamentos e a mudança de comportamento são as alterações mais visíveis. “Tenho uma aluna que era muito difícil, que era a perigosa da penitenciária e que é o meu braço direito. Tem outra que foi a pessoa mais perigosa da Vila Irmã Dulce e é minha melhor atriz, é a mais sensível”, disse Sandra Loiola em entrevista ao Jornal Meio Norte durante reportagem do Prêmio Inclusão Social. “O teatro é um experimento vivo e humano e, dentro das atividades que são propostas aqui eu consigo perceber. Depois que vamos conversar vejo o grau de violência que elas sofreram, que muitas não tiveram oportunidade”, declara.

Fonte: Jornal Meio Norte