Orientação sexual é tema nas escolas

Várias iniciativas buscam debater o tema

A orientação sexual ainda enfrenta diversos tabus. Preconceitos relacionados ao próprio sexo ainda travam as conversas sobre o assunto entre pais e filhos. Resta então a escola tentar fornecer orientações e tirar dúvidas sobre preservativos, doenças sexualmente transmissíveis (DST´s), gravidez e orgasmos. Atualmente iniciativas da rede estadual e municipal buscam debater o tema entre os estudantes.

Na rede municipal, no ano passado o tema foi desenvolvido no projeto ?Língua Solta?, que aborda vários temas relacionados à crianças e adolescentes. ?O tema é abordado em uma roda de conversa com alunos do 6o ao 9o ano a partir dos 12 anos. No decorrer da semana anterior ao encontro, nós divulgamos e lançamos uma urna para receber perguntas?, explicou a coordenadora do projeto Eliane dos Santos acrescentando que na roda de conversa as dúvidas são respondidas através da explicação do herbiatra Antônio Noronha.

De acordo com a coordenadora quando o tema sexualidade foi abordado, o projeto aborda vários temas, houve uma intensa interação dos jovens com muitas perguntas. ?Sobre sexualidade apareceram perguntas sobre tudo como DST, sexo oral, camisinha, menstruação, gravidez precoce?, relata Eliane dos Santos. A coordenadora conta que ainda há por parte dos pais certo tabu em tratar da orientação sexual. ?Ainda há certo tabu dos pais e aproveitar a presença do médico para tirar as dúvidas é muito válido?, destaca.

De acordo com a coordenadora de educação e diversidade da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Fátima Solano, está em preparação um projeto para discutir saúde e prevenção nas escolas da rede estadual de ensino. ?Na realidade estamos começando a discutir o tema nas escolas dentro de uma política de saúde e prevenção nas escolas. Vamos trabalhar também com o tema da homofobia por causa também da discriminação e preconceito?, ressalta Fátima Solano.

O plano vai abordar diversos temas relacionados a orientação sexual a fim de fornecer aos estudantes dicas sobre diversos temas que tratam do assunto. ?Estamos desenvolvendo este plano com todos os temas, como por exemplo a gravidez precoce e todos os outros que envolvem os jovens e suas dúvidas relacionadas a orientação sexual?, destaca a coordenadora acrescentando que o trabalho é feito em parceria entre a Seduc e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi). (C.R.)

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte