Paciente "incha" rosto após tomar medicação incorreta em Hospital

Paciente "incha" rosto após tomar medicação incorreta em Hospital

A estudante Maria Eduarda dos Santos Campos, de 13 anos, ficou com o rosto inchado após receber uma medicação à qual é alérgica na Santa Casa.

A estudante Maria Eduarda dos Santos Campos, de 13 anos, ficou com o rosto inchado após receber uma medicação à qual é alérgica na Santa Casa de Taquarituba (SP). O caso aconteceu no último dia 15.

Segundo a comerciante Maria Eduarda dos Santos Campos, mãe da garota, a filha procurou o hospital e, mesmo tendo uma receita médica afirmando que era alérgica a dipirona sódica, o medicamento foi colocado no soro que a garota recebeu. A comerciante afirma que avisou sobre a alergia da filha para a enfermeira.

As imagens enviadas pela mulher ao site mostram a pálpebra direita da jovem e as bochechas inchadas. Segundo ela, o problema foi assustador, mas poderia ser pior. ?Imagine se isso acontece com uma criança que ainda não consegue falar? Ou com uma criança mais frágil? Poderia ser fatal", diz.

A estudante havia acordado com dores nas costas e procurou a Santa Casa após passar em uma consulta particular.

Na clínica, o médico receitou uma medicação, além de soro fisiológico, para ser aplicado na Santa Casa. ?Quando chegamos ao hospital entreguei a receita para a enfermeira e avisei duas vezes que a garota tinha alergia a dipirona. Depois disso, minha filha entrou para ser atendida. Quando estava prestes a tomar o soro, ela perguntou três vezes se não havia dipirona junto com o medicamento. A enfermeira respondeu que não, aplicou o soro e foi fazer outras coisas. Alguns minutos depois, outro enfermeiro passou pelo local e minha filha perguntou se havia dipirona junto ao medicamento. O homem tomou um susto, e imediatamente retirou o soro que estava aplicado no braço da garota?, afirma Ana Lúcia.

Depois de tomar o medicamento, a jovem foi liberada. Em casa, começou a se sentir mal. Segundo a mãe, após o inchaço aparecer no rosto ela foi levada de volta para a Santa Casa. ?Quando chegamos de novo na Santa Casa eu fiquei indignada com a situação. Enquanto minha filha tomava um anti-alérgico, eu perguntei para outra enfermeira que estava trabalhando como isso havia acontecido. A mulher me respondeu que isso pode acontecer, me pediu desculpas e afirmou que haviam sido injetadas apenas 12 gotas do medicamento. Quer dizer então que se eles aplicassem o frasco inteiro ela morreria!??, questiona.

Posição da Santa Casa

O G1 entrou em contato com a Santa Casa do município de Taquarituba. "A paciente entrou com cólica nos rins. Para amenizar a dor que ela sentia nós recomendamos o soro fisiológico junto com medicamento Buscopan. Existem dois tipos de buscopan: o simples e o composto, o segundo vem com adição de dipirona. Como ela possui alergia ao medicamento, nós prescrevemos o simples. Mas, como na maioria das vezes é utilizado o composto em caso de cólicas, a enfermeira usou o soro junto com o buscopan composto", explica o diretor clínico da instituição, Ricardo Chamorro.

Chamarro conta ainda que a paciente tomou poucas doses do medicamento. "No momento em que a paciente avisou sobre a alergia, a enfermeira logo interrompeu a dosagem. Então a quantia de dipirona que a paciente tomou é mínima, e mesmo se ela tomasse uma quantia maior do medicamento, logo ela seria tratada com o antialérgico. Foi um caso isolado?, explica.



Fonte: G1