Hospital diz que idoso de 103 anos foi 'bem acolhido'

Promotora diz que já recebeu várias denúncias contra o hospital.

Todo cidadão tem direito a saúde é o que assegura a Constituição Federal. Em Palmeirais, ao Sul de Teresina, esses direitos não estão sendo respeitados, pois o único hospital público da cidade não oferece o mínimo necessário para um atendimento digno. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um idoso de 103 anos sendo transportado na carroceria de um carro porque no hospital não havia ambulância

O idoso, identificado como Manoel Pereira Araújo, que não consegue se locomover e nem flexionar o corpo, não poderia ser levado em carro de passeio. Sem alternativa, a família teve que colocar o doente na carroceria de uma D-20.


A neta do idoso, Mery Carvalho, denuncia que no hospital não existe ambulância disponível e os carros estavam sendo utilizados de forma indevida. “Os funcionários me falaram que o carro de apoio estava transportando pessoas para uma visita em um cemitério da cidade. Sendo que os veículos deveriam ser de uso exclusivo dos doentes. É revoltante. Meu avô foi transportado como um animal na carroceria de um carro. Ele é um ser humano. É muito desrespeito".

 Idoso identificado como Manoel Pereira Araújo
Idoso identificado como Manoel Pereira Araújo

Mery Carvalho denuncia ainda que esse não foi o único problema enfrentado pela falta de estrutura do hospital municipal. Segundo ela, os medicamentos do idoso tiveram que ser comprados pela própria família porque a farmácia do hospital está praticamente vazia. “Até a alimentação tive que comprar, porque lá não tinha comida nem para os pacientes e nem para os acompanhantes ”, conta a neta revoltada.

Ela relata ainda que nos banheiros não tinha água e para dar banho no paciente foi preciso levá-lo para a parte externa do hospital. "Ele tomou banho debaixo de um pé de caju com uma mangueira", completa a neta ao denunciar ainda que nos quartos não tem sequer um ventilador. "Levamos de casa".

 Outro lado

O enfermeiro José de Arimatéia, que trabalha no hospital, explica que o idoso foi 'bem acolhido'. "Ao chegar ao hospital, esse cliente, idoso, foi bem acolhido tanto pela parte médica, como pela parte de enfermagem. Ele foi atendido, houve prescrição médica, e também foi feita uma sonda nasogástrica para o paciente poder se alimentar, pois devido à disfagia dele, dificuldade de se alimentar. ele não conseguiu se alimentar normalmente", afirmou.

O enfermeiro confirmou a ausência da ambulância. "Nós temos ambulância, mas que se encontra em manutenção na capital", disse. Em seguida, falou sobre o estado de saúde do idoso:  "O paciente tinha sido hidratado, não era um paciente em estado grave", contou.

Enfermeiro José de Arimatéia
Enfermeiro José de Arimatéia


Promotoria abre procedimento

A Promotora de Justiça de Palmeirais, Juliana Noleto, explica que várias denúncias já haviam sid o feitas referentes às condições precárias.

"Várias denúncias chegaram para nós no que diz respeito às condições de saúde de Palmeirais. Falta de medicamento, falta de condições estruturais no hospital. Isso motivou que a gente fizesse inspeções acompanhado dos técnicos do Ministério Público, onde foram constatadas inúmeras irregularidades. Por isso, nós abrimos procedimento que resultou em um ajustamento de conduta, que está em fase de execução", afirmou. 

Promotora de Justiça de Palmeirais, Juliana Noleto
Promotora de Justiça de Palmeirais, Juliana Noleto


Fotos mostram precariedade

Foitos mostram colchões rasgados, farmácia com poucos medicamentos. Na cozinha, uma estrutura metálica enferrujada e lixo exposto.

 Colchões rasgados
Colchões rasgados
 Lixo exposto
Lixo exposto


Fonte: Portal Meio Norte