Papa embarca rumo ao Rio de Janeiro e tuíta de dentro do voo: "Já sinto o coração cheio de alegria"

Papa embarca rumo ao Rio de Janeiro e tuíta de dentro do voo: "Já sinto o coração cheio de alegria"

Francisco vai se encontrar com jovens na Jornada Mundial da Juventude

O Papa Francisco expressou nesta segunda-feira (22), em sua conta na rede social Twitter enquanto voava rumo a Brasil, sua "alegria" porque em breve estará no Rio de Janeiro para se encontrar com os jovens na Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

"Dentro de algumas horas chego ao Brasil, e já sinto o coração cheio de alegria por em breve estar celebrando com vocês a 28ª JMJ", tuítou o papa argentino durante o voo rumo ao Rio de Janeiro.

O avião que traz o Papa Francisco de Roma decolou às 8h55 (3h55 de Brasília) e deve aterrissar no Aeroporto Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, às 16h.

Levado de helicóptero para o aeroporto, onde foi recebido pelo chefe do governo italiano, Enrico Letta, Francisco, o primeiro papa latino-americano da história chegou ao avião carregando sua própria bagagem de mão para a sua primeira viagem oficial ao exterior no posto de sumo pontífice.

Ele voa acompanhado do secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone; do substituto ("número três" do Vaticano) da Secretaria de Estado, arcebispo Giovanni Angelo Becciu; e de integrantes desse departamento.

Também acompanham Francisco os cardeais Marc Oullet, canadense, presidente da Comissão Pontifícia para a América Latina; e João Braz de Aviz, brasileiro, prefeito regional da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada.

Uma vez no Brasil se unirão ao séquito papal o arcebispo do Rio de Janeiro, Orani João Tempesta; o cardeal presidente da Conferência Nacional de Bispos do Brasil, Raymundo Damasceno Assis; o cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os Laicos, do qual dependem as JMJs; e o núncio, Giovanni D"Aniello.

Também o acompanham Francisco o mestre de cerimônias pontifícias, Guido Marini; seu médico pessoal, Patrizio Polisca; o organizador das viagens papais, Alberto Gasbarri; seguranças do Vaticano e mais de meia centena de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

Papa chega ao Brasil nesta tarde para 1ª viagem internacional do pontificado

Cento e trinta e um dias depois de ser eleito Papa e ter escolhido o nome Francisco, o argentino Jorge Mario Bergoglio chega ao Brasil na tarde desta segunda-feira (22) para a primeira viagem internacional de seu pontificado.

Fiumicino às 8h55 (3h55 de Brasília), e deve aterrissar no Aeroporto Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, às 16h.

O motivo da visita é a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que ocorre no Rio de Janeiro até domingo (29). Mas, até seu retorno para o Vaticano, Francisco também cumprirá agendas diplomáticas e irá até Aparecida (SP). Para as autoridades brasileiras, questões relativas à segurança e aos protestos de rua se transformaram em desafio e polêmica na visita papal. Para o Pontífice, o foco da viagem são os mais de 350 mil jovens inscritos na JMJ.

No Brasil, as mensagens do Papa encontram um cenário desafiador: a Jornada ocorre em um país de maioria católica, mas com baixo índice de fiéis ativos, aberto a diferentes correntes religiosas e com crescimento do número dos que se declaram "sem religião".

Em sete dias no país, Francisco fará ao menos 15 pronunciamentos. A expectativa de especialistas é que ele quebre protocolos e faça pregações emblemáticas para reforçar suas posições frente aos desafios da Igreja.

A visita será acompanhada com atenção ao redor do mundo através do trabalho de 5,5 mil jornalistas, sendo 2 mil apenas da imprensa internacional. A capa da revista Time publicada na semana passada resume a expectativa: a reportagem aponta que a visita será oportunidade para medir as forças do "Papa humilde" e o modo como ele está refrescando a face do papado.

Para promover o evento que atrai atenção mundial, a estimativa dos organizadores é que o custo da JMJ fique entre R$ 320 milhões e R$ 350 milhões, dos quais 70% devem ser custeados pelos próprios peregrinos. Uma semana antes do evento, a organização disse ter arrecadado cerca de R$ 20 milhões através de doações de empresas.

Agenda do Papa

Nesta segunda, Francisco desembarcará na Base Aérea do Galeão, de onde seguirá, em carro fechado, até a Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Centro da cidade. De lá, vai de Papamóvel até o Theatro Municipal, em seu primeiro desfile pela cidade.

Segundo a Prefeitura do Rio, desde a 0h desta segunda está proibido estacionamento em vias da região central. Está previsto que o Papa chegue ao Centro às 17h. O fechamento da área central tem previsão de acontecer às 15h.

Na terça-feira (23), Francisco vai passar o dia descansando, sem compromissos oficiais. Já na quarta-feira (24), a agenda do Papa começa com uma visita a Aparecida, no interior de São Paulo. Na cidade, ele celebra uma missa no Santuário Nacional e almoça no Seminário Bom Jesus. São esperados 200 mil fiéis na cidade.

O retorno para o Rio de Janeiro está marcado para as 16h. No fim da tarde, o pontífice visita o Hospital São Francisco de Assis, já no Rio. A expectativa é de que o Papa inaugure o Polo de Atenção Integrada da Saúde Mental (PAI), que vai acolher dependentes químicos, de álcool e drogas.

O primeiro ato da JMJ com participação do Papa será na quinta-feira (25). Pela manhã, o Papa participa de uma missa privada no Sumaré. Depois, ele vai ao Palácio da Cidade, em Botafogo, para abençoar a bandeira olímpica e paraolímpica. Por volta das 11h, o compromisso é uma visita à comunidade da Varginha, na Zona Norte. Às 17h, vai à Praia de Copacabana, onde será celebrada a Festa da Acolhida com os jovens.

A sexta-feira (26) também começa com uma missa fechada no Sumaré. Após a oração, o Papa vai à Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, encontrar com um grupo de jovens selecionados pela Igreja e que vão se confessar com Francisco. Haverá então um breve encontro com alguns jovens detentos no Palácio Arquiepiscopal São Joaquim.

A oração do Ângelus será rezada no Palácio São Joaquim, residência do arcebispo do Rio. Também está prevista para sexta uma saudação ao Comitê Organizador da Jornada. No fim da tarde, o Papa segue para a Praia de Copacabana, onde será realizada a Via-Sacra.

No sábado (27), a manhã começa com uma missa com bispos na Catedral de São Sebastião. Por volta das 11h30, o Papa se reúne com membros da sociedade civil no Theatro Municipal. Após o ato, ele almoça com bispos e cardeais. No início da noite, o Pontífice vai a Guaratiba para a Vigília de Oração.

No domingo (28) de manhã, o Papa retorna a Guaratiba para realizar a Missa de Envio, marcada para as 10h. À tarde, após um almoço com sua comitiva, Francisco tem um encontro com a coordenação do Conselho Episcopal Latino-Americano. O Papa se reunirá ainda com voluntários da JMJ, no Riocentro, e participará da cerimônia de despedida, agendada para as 18h30. O embarque para Roma está previsto para as 19h.

Segurança e protestos

Os protestos realizados desde junho no Rio motivaram ajustes nos planos de segurança para a visita, apesar de o Vaticano assegurar na quarta-feira (17) que não havia motivo para preocupação. Uma das demonstrações disso é que Francisco dispensará o uso de papamóvel blindado.

O Exército informou que estará em todas as áreasda Jornada e que pessoas mascaradas ou com os rostos cobertos serão impedidas de entrar na celebração com o Papa no Campo da Fé, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio.

Durante a passagem de Francisco pelo Rio, a "Operação Papa" mobilizará cerca de 13.700 homens, sendo 10.200 das Forças Armadas, 1.300 homens da Força Nacional de Segurança, além de agentes e policiais dos Órgãos de Segurança e Ordem Pública. A Polícia Militar do Rio afirma que vai empregar 14 mil homens para fazer o patrulhamento da cidade.

No planejamento de segurança adotado pela Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos, vinculada ao Ministério da Justiça, Copacabana é considerada a área mais complexa, já que o bairro deve receber cerca de dois milhões de pessoas na Via Sacra, que será realizada no dia 26 e terá a presença do Papa Francisco. Mais de dez mil agentes, entre policiais federais, rodoviários federais, civis, bombeiros, trânsito e defesa civil vão atuar no esquema.

Esquema de trânsito no Rio

A presença do Papa e os eventos marcados durante a Jornada irão afetar o trânsito no Rio de Janeiro a partir de terça-feira (23). Em Copacabana, onde devem ocorrer a Festa de Acolhida e a Via-Sacra, diversas vias serão bloqueadas. Também haverá proibição de estacionamento em algumas ruas.

Para auxiliar no deslocamento dos fieis, táxis foram autorizados pela prefeitura a cobrar a tarifa na bandeira 2 das 16h do dia 23 até o meio-dia do dia 29. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, o objetivo é incentivar a maior disponibilidade de táxis em circulação durante o evento.

Fonte: G1