Papa Francisco pede proibição mundial à pena de morte

Ele afirmou que o mandamento 'não matarás' é válido para todos

O papa Francisco pediu neste domingo (21) uma proibição mundial da pena de morte, afirmando que o mandamento "não matarás" é válido tanto para os culpados quanto para os inocentes.

“Faço um apelo à consciência dos governantes para que se chegue a um consenso internacional pela abolição da pena de morte. E proponho àqueles que são católicos que façam um gesto corajoso e exemplar: que nenhuma condenação seja realizada neste ano santo da misericórdia”, afirmou o papa Francisco.

Nos últimos dias, o papa Francisco fez comentários sobre outros assuntos polêmicos do ponto de vista da Igreja Católica. Ele disse que o uso de contraceptivo para evitar a gravidez quando há risco de contaminação pelo vírus da zika é aceitável. O comentário foi feito durante conversa com jornalistas no avião papal, durante a viagem de volta do México para o Vaticano.

Segundo o papa, "evitar a gravidez não é um mal absoluto" diante do risco de contrair a zika, doença que pode causar a microcelafia em bebês. O assunto é tabu para os católicos, mas muito importante para América Latina, continente com a maior base de fiéis da Igreja e que possui o maior número de casos de zika.

Ele lembrou que não é o primeiro papa a defender o uso de métodos anticoncepcionais, pois o Papa Paulo VI autorizou, nos anos 1960, que freiras vítimas de estupros na África usassem métodos para evitar a gravidez. O papa Francisco, porém, fez questão de separar  contracepção e aborto, que, para ele, é crime, "o mesmo tipo cometido pela máfia".

Papa Francisco  (Crédito: Reprodução)
Papa Francisco (Crédito: Reprodução)
Fonte: Com informações do G1