Para ajudar mãe, jovem de 18 anos retoma leilão da virgindade

Para ajudar mãe, jovem de 18 anos retoma leilão da virgindade

A viúva de 59 anos foi vítima de dois acidentes vasculares cerebrais (AVC) e precisa de cuidados especializados

A estudante Rebeka Bernardo Albertony, 18 anos, paulista erradicada na cidade de Sapeaçu, a 150 km de Salvador, decidiu retomar o leilão da própria virgindade. A oferta foi feita através de um vídeo no YouTube em 22 de novembro e suspensa quatro dias depois, quando a TV Band Bahia prometeu ajuda à garota e a sua mãe, Divinalva Bernardo Ribeiro. A viúva de 59 anos foi vítima de dois acidentes vasculares cerebrais (AVC) e precisa de cuidados especializados que a filha não consegue bancar.

O leilão da virgindade, que voltará ao ar na próxima terça-feira, através de um blog, seria um modo de Rebeka levantar o dinheiro para melhorar a vida da mãe. Foi a própria adolescente que procurou o Terra nesta sexta-feira para dizer que irá retomar o leilão. Segundo ela, a equipe da TV esteve em Sapeaçu e lhe prometeu auxílio completo nas necessidades com a mãe. O primeiro retorno teria vindo uma semana depois.

"Eles me disseram que ainda estavam procurando ajuda e afirmaram também que seria apenas ajuda médica, mas na entrevista não disseram que era tudo", reclamou. Segundo ela, além dos tratamentos médicos para a mãe, é essencial uma cadeira de rodas para que ela se locomova sozinha e uma reforma na casa que as duas dividem, para melhorar a acessibilidade.

Mal estar motivou retomada

Conforme Rebeka, além da frustração com a proposta da emissora, um novo mal estar na mãe na última quarta-feira motivou a retomada do projeto. Dona Divinalva teve uma nova crise de labirintite, seguida por vômito intenso. "Fiquei sem ter o que fazer e vi que preciso dar um jeito de melhorar a condição dela. Ela ainda toma os remédios do primeiro derrame, pois não consegui uma nova avaliação médica", relembrou. Segundo ela, nem os serviços públicos de saúde da cidade tem ajudado. "Achei que com tanta publicidade em torno da situação, eles dariam pelo menos atenção, mas sequer nos procuraram", lamentou.

Nas suas contas, a solução da situação em que a família vive custaria cerca de R$ 130 mil reais, lance que ela pretende ver contemplado em seu leilão. Agora, segundo ela, a negociação será profissional. "Estou terminando o blog, que conterá todas as informações sobre as condições do leilão e como os candidatos devem fazer os lances", esclareceu. Além disso, ela afirma estar negociando uma entrevista para ser exibida nacional e internacionalmente com uma emissora de TV de São Paulo.

Perguntada sobre suas expectativas para a negociação, ela foi assertiva: "O último lance, em poucos dias, foi de R$70 mil. Acho que vou conseguir, sim". A questão moral também não parece um problema para a garota, que está afastada da escola para evitar o bullying dos colegas. Ela garante que está encarando o leilão como um negócio e que, pelo menos por enquanto, sexo não é coisa que lhe interesse muito.

Fonte: Terra