Para fazer perucas, presas doam cabelo a pacientes com câncer

Para fazer perucas, presas doam cabelo a pacientes com câncer

Quarenta detentas de Presídio de Cariacica fizeram a doação

Em um gesto de solidariedade, 40 detentas da Penitenciaria Feminina de Cariacica, no Espírito Santo, cortaram e doaram parte dos seus cabelos para a confecção de perucas naturais que serão usadas por pacientes com câncer. As mechas de cabelo foram entregues para a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc), na última semana, em uma cerimônia que reuniu pela primeira vez presas de regimes diferentes no mesmo espaço.

A iniciativa partiu da equipe técnica do presídio, segundo a diretora Mônica Tamanini, que já conhecia o trabalho da Afecc. "Como existe a demanda normal de corte de cabelo, surgiu a ideia de incentivar quem quisesse a cortar mais e doar para fazer as perucas. Quarenta pessoas se dispuseram e uma interna que é profissional da área fez os cortes. O trabalho durou 15 dias, até que todas cortassem os cabelos e guardassem as mechas", conta.

No dia marcado para a entrega dos cabelos, pacientes em tratamento de câncer no Hospital Santa Rita foram até o presídio, junto com profissionais da Afecc e do cabeleireiro voluntário Dirceu Paigel, responsável pela confecção das perucas.

"Fiquei muito emocionada em ver tamanho gesto de amor. Tive que me conter para não chorar. Lembrei do início do meu tratamento e de todas as dificuldades que passei. Da perda de cabelo, as náuseas causadas pela quimioterapia. Me vi um pouco no olhar daquelas mulheres", disse a paciente Luciana Cardoso, 53 anos, que teve câncer de mama.

"Elas trouxeram os cabelos, dizendo que era tudo o que tinham, mas que era com muito amor. Foi muito emocionante", conta o cabeleireiro.

Espera


Para fazer perucas, presas doam cabelo a pacientes com câncer

A Afecc afirma que existe a demanda de 80 mulheres por mês esperando perucas e não há oferta suficiente, já que apenas um cabeleireiro voluntário faz as perucas e o custo é alto. Os cabelos das detentas vão se juntar aos outos que já foram doados, porque é preciso uma grande quantidade para a confecção de uma peruca natural.

O cabeleireiro Dirceu Paigel trabalha há 15 anos na confecção de perucas, tem lojas no ramo e sempre se dedicou a projetos sociais. "Vimos uma carência no atendimento humanizado para esses pacientes. E a peruca ajuda na auto-estima, no tratamento como um todo. A forma que criamos para fazer esse atendimento foi entrar em contato com as assistentes sociais do estado. Nos colocamos à disposição para que os pacientes que precisassem e não tivessem condições de ter a peruca, fizessem o encaminhamento para nós. Então levantamos quem precisa e quanto pode pagar. Fazemos várias ações, damos desconto e levantamos voluntários para ajudar a dar as perucas para esses pacientes", conta.

Segundo Dirceu, a intenção é estimular as pessoas a doarem, seja cabelo, seja dinheiro, seja parte do seu tempo. Ele conta que a peruca feita de cabelo natural é mais cara e requer mais cuidados. A mais doada e mais prática é a peruca de cabelo sintético, que pode ser lavada em casa e é fácil de manter. De acordo com o cabeleireiro, uma peruca sintética custa a partir de R$ 350. Mas quem quiser doar para os pacientes do Hospital Santa Rita, têm 50% de desconto.

Como ajudar

Quem quiser, pode doar os cabelos para a confecção de perucas ou até mesmo adotar um paciente e ajudar a comprar uma peruca sintética por R$ 175. Os interessados devem entrar em contato com a Afecc pelo telefone (27) 3334-8006. Ou com o cabeleireiro Dirceu Paigel, pelo telefone (27) 3376-3882.

Fonte: G1