Parada do Orgulho LGBT reúne 3,5 milhões de pessoas e toma a Avenida Paulista em SP

Parada do Orgulho LGBT reúne 3,5 milhões de pessoas e toma a Avenida Paulista em SP

Evento começou às 13h20 deste domingo, com mais de uma hora de atraso.

Os participantes a 16ª Parada do Orgulho LGBT tomavam a Avenida Paulista por volta das 15h deste domingo (10). No horário, o oitavo trio elétrico deixava a concentração do evento e os primeiros carros desciam a Rua da Consolação rumo à Praça Roosevelt, na região central de São Paulo. A parada começou às 13h20, com mais de uma hora de atraso. O evento espera reunir cerca de 3,5 milhões de pessoas.

Até o horário, a Polícia Militar não registrava ocorrências graves na Parada Gay. Mais cedo, algumas pessoas chegaram à Paulista segurando uma faixa ?Punks e Skinheads contra a homofobia?. A princípio, a PM barrou o acesso deles ao evento. A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) foi chamada, constatou que eram simpatizantes e eles acabaram liberados. Um outro grupo de skinheads foi identificado atrás do Masp e dispersado, segundo a PM.

Ainda na concentração da parada, a Polícia Militar tentava impedir que os participantes utilizassem garrafas de vidro. Eles eram aconselhados a despejar o líquido em copos ou garrafas de plástico. A Secretaria da Saúde distribuiu 700 mil preservativos antes da parada.

Alegria e descontração são a marca do evento, mas não o único objetivo. Dindry Buck e Send Buck fazem parte do "Esquadrão das Drags", um projeto de conscientização da juventude gay. Elas estão no projeto há um ano, mas frequentam a Parada desde 1997. "Nosso objetivo é conscientizar, sem perder o bom humor", disseram durante a parada.

Geisy Arruda é uma das famosas que prestigiam a festa. ?Todos os meus amigos são gays, eu não tenho amiga mulher. É o terceiro ano que eu venho. Eu brinco com os amigos que eu sou um travesti, já nasci operada. Eu já sofri muito preconceito, sei o que os gays sofrem?, afirmou na concentração do evento.

Trios elétricos

A parada terá, ao todo, 14 trios elétricos, sendo três deles oficiais, comandados pela Associação da Parada do Orgulho LGBT: o primeiro carro, o sétimo e o último.

O primeiro trio a passar pela Avenida Paulista apresenta o tema da Parada deste ano: ?Homofobia tem cura: educação e criminalização ? preconceito e exclusão, fora de cogitação?. O sétimo trio, segundo a organização, traz mensagens positivas sobre a manifestação da identidade LGB. Já o último carro irá trazer uma campanha a favor do casamento homossexual, com integrantes vestidos de noivos e noivas.

A Parada LGBT sai do Masp, na Avenida Paulista, e segue no sentido Consolação. Os trios entram na Rua da Consolação e descem até a Praça Roosevelt, onde ocorre a dispersão. São ao todo 3,5 km de percurso. O último trio deve entrar na Rua da Consolação até as 16h e chegar às 18h na Praça Roosevelt, quando termina o evento.

Em 2011, a Parada LGBT reuniu 4 milhões de pessoas, sendo 83,8% residentes na cidade de São Paulo. Neste ano, a expectativa é ter um público de pelo menos 3,5 milhões de pessoas, mas não há previsão de contagem oficial de participantes.

Segurança e saúde

A Parada LGBT terá em seu percurso 1.500 policiais militares, com cerca de 120 veículos, entre carros e motos. Haverá também 600 guardas-civis metropolitanos, com 170 veículos.

Para o atendimento de saúde durante o evento, a organização contará com cinco hospitais de campanha montados ao longo do percurso. Três deles terão 50 leitos cada, além de ambulâncias e UTI móvel.

Fonte: G1