Parque da Cidadania ainda deve ficar pronto no mês de agosto em Teresina

As exigências do Iphan contribuíram para o atraso da obra, que teve sua inauguração adiada mais de uma vez. Agora, a construção do espaço segue de forma regular e a entrega e inauguração da obra estão

Situado nas proximidades da Estação Ferroviária de Teresina, na confluência das Avenidas Frei Serafim e Miguel Rosa, o Parque da Cidadania é uma obra bastante aguardada pela população de Teresina, pois oferecerá uma opção extra de entretenimento na capital.


Entretanto, os constantes impasses da Prefeitura de Teresina com o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tem gerado diversos atrasos na obra, que teve sua inauguração adiada mais de uma vez.

A construção do espaço segue de forma regular e a entrega da obra está planejada para o mês de agosto e a inauguração deve ser feita logo em seguida.

O gerente de obras da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro-Norte (SDU/Centro-Norte), Jefferson Oliveira, está confiante com a velocidade da execução e acredita que desta vez a obra não será mais interrompida.

“Tivemos alguns impasses com o Iphan, que é quem dá a palavra final em tudo o que diz respeito ao Parque da Cidadania. Como se trata de uma área tombada pelo patrimônio histórico, tanto o projeto quanto alterações de qualquer tipo devem ser autorizados pelo órgão e só depois devem ser construídas as obras. Por isto que o projeto inicial foi alterado algumas vezes”, conta.

As alterações citadas por Jefferson Oliveira incluem a retirada de uma das academias que seriam instaladas no local.

“O Iphan achou que somente uma era suficiente”, diz. Também estava prevista uma ponte ornamental sobre um lago artificial no parque, mas ela teve de ser destruída porque suas características arquitetônicas não condiziam com a estrutura do local.

O anfiteatro também passou por alterações. “O instituto condenou a altura da estrutura, pois, segundo o técnico responsável, a estrutura comprometia a visibilidade de outros patrimônios culturais da cidade.

Em consequência, a capacidade da arena também foi reduzida. Daria para abrigar um público de 1.200 pessoas, agora vai caber menos”, destaca o gerente de obras.

Mesmo sem inaugurar, o Parque da Cidadania já anima os estímulos de quem mora nas proximidades. Quem pode acompanhar o andamento diário da obra e observa as diversas alterações do plano inicial está inseguro e se questiona se a entrega do parque ocorrerá em tempo hábil. “Moro nos fundos do parque e pude ver de perto todas as mudanças que fizeram.

Tinha uma ponte muito bonita sobre o lago que já retiraram. O anfiteatro fica do lado do sol poente e será impossível a realização de qualquer evento no horário da tarde e as palmeiras que seriam plantadas próximo à fonte luminosa que fica na entrada também não vão fazer parte do projeto final.

O parque é uma iniciativa ótima, mas essa série de mudanças só está atrasando um lugar de que Teresina precisa e as despesas só aumentam”, pondera o músico Vagner de Almeida .

Sobre o orçamento, o gerente de obras Jefferson Oliveira confirma que a construção está sendo realizada com alguns percalços que não incrementarão o valor final de construção do Parque da Cidadania.

“Não precisaremos pedir nenhum aditivo para finalizar o parque. Apesar das readequações, a obra segue seu curso natural e, se for o caso de recorrer a uma emenda, ela será muito pequena.

Tudo o que for executado no parque carece de aprovação prévia do Iphan. Eles demoram para aprovar projetos e obras, mas estamos confiantes que tudo transcorrerá normalmente. Esperamos entregar a obra no mês de agosto e a inauguração será feita logo em seguida”, pontua.

Parque terá estrutura grandiosa e viaduto de acesso

Com 8,3 hectares de área construída, pistas de skate, caminhada e ciclismo, estacionamento externo, guarita, espelho d'água, anfiteatro, quiosques, playground, jardins, fontes e academia, o Parque da Cidadania será um ambiente reservado à prática de esportes, lazer e de interação social.

Antes mesmo da inauguração é uma das obras mais aguardadas pela população. A Prefeitura informou que será feita a restauração arquitetônica da Casa do Agente e o parque receberá o Centro de Referência de Arte Santeira, que só deverá ser concluída e entregue para a população após a inauguração.

Também está prevista a construção de um lago no interior do parque e passarelas interligando o Parque à Avenida Miguel Rosa e implantação de uma rua com faixa dupla que passará pelo parque.

Não deverá haver problemas para estacionar e nem quanto à fluidez do trânsito com a abertura do Parque da Cidadania, uma vez que o acesso a ele se dará pela Avenida Miguel Rosa.

Além disso está sendo construído um viaduto que sairá da rua Desembargador Freitas, se prolongando para sair na Rua Juliano Moreira, já dentro do Parque, até atravessar o rio Poti e terminar do outro lado da margem, na Avenida Marechal Castelo Branco.

"É uma obra importante por se tratar de uma área de esporte e lazer para a população. Aqui a juventude vai poder se divertir com tranquilidade e com uma boa estrutura", frisa Jefferson Oliveira, gerente de obras da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro/Norte (SDU/Centro-Norte).

Fonte: Olegário Borges