Partos da rede municipal crescem 12% na Maternidade Dona Evangelina Rosa

A Fundação Hospitalar de Teresina está, aos poucos, aumentando a resolutividade das maternidades municipais, antes subutilizadas

A subtilização das maternidades municipais de Teresina é um dos principais motivos para a superlotação da Maternidade Dona Evangelina Rosa, referência em alta complexidade do Estado Piauí, que chega a uma média de 30 partos diários.

No entanto, os gestores da área de saúde de Teresina estão empenhados em melhorar o atendimento nas maternidades municipais da capital. A meta é aumentar o número de mães atendidas e desafogar a unidade referência em alta complexidade.

Como resultado desse trabalho, de abril deste ano até o mês de julho, foram registrados 232 partos a mais do que os que foram realizados no mesmo período do ano passado. Isso corresponde a um aumento percentual de 12%. O presidente da Fundação Hospitalar, Aderivaldo Andrade, informa que a meta é chegar a pelo menos 300 partos no

próximo quadrimestre.

Para se chegar a esse resultado, Aderivaldo explica que a Fundação Hospitalar focou a princípio no quadro de médicos de cada maternidade e também na reorganização dos leitos em cada uma delas.

Foram contratados mais médicos obstetras, neonatologistas, pediatras e anestesistas. ?Se falta um desses profissionais na equipe já inviabiliza o parto. Então se falta um pediatra na Maternidade Wall Ferraz (Ciamca),

um neonatologista no Buenos Aires e um anestesista no Satélite, já são três maternidades paradas. Então, o primeiro passo foi organizar essa equipe?, pontuou.

Os espaços ociosos nas maternidades foram transformados em leitos. Com isso, o número subiu de 77 para 81 leitos. Esse número deverá aumentar ainda mais a partir do próximo ano. Além disso, novos equipamentos foram adquiridos.

?Isso tudo faz parte da primeira fase dessa melhoria. Na segunda fase nós vamos construir novos leitos na maternidade do Bairro Buenos Aires, com a construção do Centro de Parto Normal?, disse. A Ciamca também

ganhará novos leitos.

Para o presidente da FHT, essas melhorias são responsáveis para aumentar a confiança da população e o aumento no número de partos já é reflexo dessa confiança. ?Esse aumento no número de partos, nós consideramos importante e ficamos felizes de ver que a população

está mais confiante nos nossos serviços?, afirmou.

Esse esforço para melhoria do atendimento vem acontecendo desde o ano passado e é uma resposta ao Termo de Ajustamento de Conduta do Ministério Público Estadual, que exigiu que as maternidades do município passassem a contribuir mais para desafogar a Maternidade Dona Evangelina Rosa.

?Isso contribuiu para que nós pudéssemos atender as gestantes próximo

às suas casas e também a melhor distribuir essas gestantes, ajudando assim a desafogar a Evangelina Rosa?, disse Aderivaldo.

Fonte: Pollyana Carvalho