Peixes chegam a custar R$30 no mercado

O acréscimo nos valores dos peixes, ainda é pouco significativo, representa apenas 3% acima do valor nos demais períodos

Muitos católicos ainda mantêm viva a tradição de fazer jejum e abstinência da carne, a substituindo pelo peixe ou demais frutos do mar, como penitência dos pecados, oferecendo tal ato a Deus. Praticado desde a Antiguidade, como sinal de arrependimento, o jejum obrigatório foi sendo reduzido ao longo dos séculos, ficando restritos apenas a quarta-feira de cinzas, com a abertura da Quaresma e na sexta-feira santa, dia da morte de Jesus Cristo. E o aumento nas vendas de peixes, no famoso mercado do Peixe em Teresina, é o reflexo da grande procura neste período.

O acréscimo nos valores dos peixes, ainda é pouco significativo, representa apenas 3% acima do valor nos demais períodos. Dentre os mais procurados estão o tilápia, tambaqui, piratinga, pescada amarela, branquinha e pargo. Um quilo do produto, com preços que variam, de R$8,50 o tambaqui a R$ 30 o salmão, oriundo do Chile, segundo a vendedora do Mercado do Peixe, Nadja Nayara:

“A procura aumentou bastante esses últimos dias. Vejo que os teresinenses mantêm sim a tradição de comer peixe nesse período. O movimento maior é entre as 7H30 às 9H. Temos preços para todos os gostos e bolsos. O mais barato está de R$8,50 e o mais caro de R$30, que é o salmão. Mas até agora o peixe mais vendido é a tilápia”, revela a vendedora Nadja Nayara.

Para Vânia Viana, médica, apesar de estar estocando peixe para a Semana Santa, tem o hábito de ingerir peixe regularmente em seu cardápio.

“Eu sigo a tradição da Semana Santa. Já estou comprando para a estocar, para a Quaresma. Em especial, para a sexta-feira da paixão. Mas regularmente compro peixe, já faz parte do meu cardápio, independente deste período religioso”, pontua Vânia Viana.

Segundo a previsão de vendas de alguns vendedores do mercado, os preços dos peixes podem ainda ter aumento até abril, mas que esse acréscimo não será tão significativo em cima do preço atual do produto.

Repórter: Márcia Gabriele

Fonte: Márcia Gabriele