Perfil de concurseiros está mudando no Piauí

Ele não mais esperam o edital ser lançado e passa um ano inteiro se preparando.

O Piauí está consolidando uma nova profissão: a de concurseiro. São aquelas pessoas que se profissionalizam em estudar. O perfil desse piauiense indica que ele não mais espera o edital ser lançado e passa um ano inteiro se preparando. Surge a conscientização de que não adianta estudar para concurso no último momento.

Segundo o professor Ismar Sampaio, em algumas situações, esses estudantes profissionais não se contentam ao conseguir uma vaga e continuam se dedicando em busca de melhores salários. ?Já houve uma evolução na crença de que o cargo público é o melhor devido a estabilidade?, declara Sampaio.

Um emprego como auditor fiscal do Ministério Público do Trabalho e Emprego, no qual o salário inicial é de R$ 13 mil, incentiva os concurseiros a de dedicarem ainda mais. Outra oportunidade que atrai esses estudantes, embora seja apenas para cadastro de reserva, é o concurso do Banco do Nordeste. Os salários vão de R$ 2 mil a R$ 6 mil.

Na área de saúde a Fundação Municipal oferece vagas para os níveis médio e superior, com salário de R$ 600 a R$ 4 mil. Já em educação, a prefeitura de Nazária tem vagas para professores de ensino fundamental, com salário de R$ 1.045.

Sendo assim, a busca pelos cursinhos tem se intensificado bastante e garantido bons lucros para escolas preparatórias. Uma das maiores da Capital, por exemplo, oferece 16 turmas para estes quatro importantes concursos que estão em vista. O preço médio, por seis semanas de aula, é de R$ 450,00, dependendo da carga horária.

Fonte: Nayara Felizardo