Perícia apura se suspeito rasgou camisa em represa onde advogada morreu

Golpe com barra de ferro teria fraturado maxilar de Mércia Nakashima

A perícia do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) retirou nesta segunda-feira (21) uma parte de fio de arame farpado que estava em uma cerca perto da represa em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, onde foram encontrados o corpo e o carro da advogada Mércia Nakashima. A perícia quer saber se o arame rasgou uma camisa que foi apreendida na casa de Mizael Bispo de Souza, de 40 anos, ex de Mércia e apontado como suspeito da morte. Ele nega o crime.

Os peritos voltaram nesta manhã à represa onde o corpo de Mércia foi encontrado em 11 de junho. Para a Polícia Civil, o ex-namorado da advogada é o principal suspeito, mas ele afirma que estava com outra mulher no dia 23 de maio, quando Mércia desapareceu após deixar a casa dos avós em Guarulhos, na Grande São Paulo.

A polícia quer saber se o rasgo nas costas da camisa é compatível com o arame farpado. É investigada a possibilidade de o criminoso ter passado pela cerca para fugir. Em depoimento, um pescador afirmou ter visto um carro afundar na represa no mesmo em que Mércia sumiu. Ainda, segundo a testemunha, ela viu um homem alto, não identificado, deixar o veículo e também disse ter escutado gritos de mulher. Para se chegar a cerca, o assassino utilizou uma trilha.

Fonte: g1, www.g1.com.br