Piauí confirma mais de 500 casos de chikungunya

Estado registrou um aumento de 672,9% de casos prováveis em 2016

Nesta quinta-feira (28), a Secretaria de Estado da Saúde divulgou os números referentes aos casos notificados de chikungunya no Piauí. Em um comparativo que compreende os meses de janeiro a julho de 2015 ao mesmo período deste ano, o estado registrou um aumento de 672,9% de casos prováveis. Ao todo, foram 1.971 casos notificados, sendo 592 já confirmados por exames laboratoriais.

O diretor da Unidade de Vigilância e Atenção à Saúde, Herlon Guimarães, comenta que após o cruzamento de dados entre dois sistemas de informações: o online em que os municípios informavam seus casos de chikungunya, dengue, zika e o outro sistema offline, onde passaria pelo banco de dados do estado foi possível perceber um aumento significativo nos casos.

Ele explica: “esse aumento fez com que tivéssemos uma fidelidade maior referente aos casos de chikungunya. Então, essa é uma preocupação sim por parte das autoridades de saúde pública. Não pudemos de forma nenhuma baixar a guarda, ainda estamos numa guerra de combate ao mosquito Aedes aegypti. Portanto, devemos cuidar dos nossos ambientes doméstico e de trabalho”.

No que se refere aos casos de dengue, o Piauí registrou 4.654 casos, em 149 municípios, o que significa uma redução de 34,5% em relação ao ano passado. Seis municípios concentram os maiores números de casos suspeitos: Teresina, Cocal, Simões, Picos, Caldeirão Grande e Marcolândia.

Enquanto no ano passado foram notificados apenas quatro casos suspeitos de zika vírus, em 2016, o estado já registrou 331.

Microcefalia

A atualização do boletim epidemiológico mostra que no Piauí foram notificados 178 casos notificados de microcefalia. Destes, noventa e dois já foram confirmados, sendo dois deles relacionados ao zika vírus. Além disso, dos 178, doze seguem em investigação e 74 foram descartados.


Aedes aegypti é o transmissor da doença (Crédito: Reprodução)
Aedes aegypti é o transmissor da doença (Crédito: Reprodução)


Fonte: Portal Meio Norte