Piauí cria rede para combater a violência contra as mulheres

São medidas preventivas que têm colocado o Piauí como referência

Garantir um sistema de proteção às mulheres tem sido uma das ações desenvolvidas pelo Governo do Estado. São medidas preventivas que têm colocado o Piauí como referência no combate à violência contra a mulher diante de organizações representativas como a ONU Mulheres.

Para o governador Wellington Dias, é preciso ter coragem para implantar um sistema que permita às mulheres, de forma mais segura e com confiança no poder público, a denunciar a violência, especialmente as praticadas o âmbito doméstico. “Tínhamos um sistema machista em que a mulher não tinha coragem, sequer, de formular a denúncia. Elas eram inibidas”, diz o governador, enfatizando o importante trabalho das delegacias especializadas, com atendimento adequado. “São mulheres atendendo mulheres. Temos Defensoria Pública, Ministério Público com núcleos especializados, além de equipes específicas na área da saúde”, acrescenta.

Segundo Wellington, o Governo passou a organizar um sistema com abrangência das mais diferentes áreas e com isso, o Estado ganhou a confiança da sociedade. “A criação desse sistema revelou uma situação dramática, com grande incidência de violência contra a mulher. Foi a partir daí que passamos a fazer um trabalho envolvendo diversos setores, além do Executivo, tem o Legislativo, o Ministério Público, o Judiciário, as Delegacias Especializadas, assistentes sociais, técnicos em saúde, a Coordenação das Mulheres, o Conselho da Política para Mulheres atuando de forma incisiva garantindo que não tenhamos mais impunidade para quem pratica violência contra mulher”, informa.

O resultado desse trabalho foram as prisões e as primeiras penalidades aos agressores. Com base na Lei Maria da Penha, o Estado vem conseguindo a redução da violência contra as mulheres. “À medida que o agressor é punido cria uma redução na forma machista que tínhamos no Estado”, declara.

Para o chefe do executivo estadual, além de todo esse sistema integrado para coibir e punir a violência contra a mulher, a educação também surge como grande aposta. “Quero agradecer as equipes que visitam as escolas, igrejas, bairros e associações ministrando palestra e fazendo trabalho de conscientização”, afirma.

Segundo Wellington, o Piauí tem uma sociedade, que por natureza, vive de forma pacífica e com respeito entre todos. “Isso vem desde a educação. Temos problemas, mas olhando a partir dos dados que colhemos, o Piauí tem importantes vitórias porque enfrenta de modo corajoso a violência contra mulher”, disse, destacando a Casa da Mulher, que garante abrigo para as vítimas de agressão.

O governador critica a violência de qualquer forma, pois é inconcebível alguém sofrer qualquer tipo de violência, seja ela brutal, sexista, ser violentado e chegar a morrer só pelo fato de ser mulher, não tem explicação. Wellington destaca a necessidade de garantir proteção, a exemplo da Casa Abrigo e, se for preciso o deslocamento para outra cidade por medida de segurança, o Estado garante essa proteção. “O que queremos é uma política de paz”, finaliza.

Fonte: Com informações do Portal do Governo