Piauí deve enfrentar crise hídrica em pelo menos cinco anos

A água é o recurso natural mais abundante do mundo

A água é o recurso natural mais abundante do mundo, no entanto, o Brasil vem apresentando níveis baixos em seus reservatórios em épocas do ano em que costumam estar bem mais cheios. Estão também apresentando grandes índices de poluição e degradação.

No Piauí, um estudo realizado pelo especialista em Direito Ambiental e membro do grupo Greenpeace, Cleonilson Costa, aponta que em médio prazo o Estado pode sofrer com a falta d’água, podendo ficar sem o bem nos próximos 5 anos.

Ele destacou que o descaso com as lagoas, mananciais, rios e riachos do Piauí terão impacto ambiental e econômico muito fortes. Ele defende que a população deve ser conscientizada sobre a importância da preservação e o impacto do desmatamento e poluição para as gerações futuras.

Image title

Em sua pesquisa, o ambientalista encontrou bastante poluição e lixo nas margens da lagoa de Campo Maior, Cachoeira do Urubu, Açude do Bezerra, Prainha de Piracurura, rios Poti e Parnaíba e até criação de gados nas margens da Lagoa do Portinho.

“Esse estudo foi feito para para mostrar o impacto que isso vai ter no prazo de 5 anos, pois deve faltar água no interior do Piauí. Em alguns municípios essa realidade da falta d’água já existe, e eles precisam ser abastecidos por carro pipa. Teresina só possui uma média de 18% de saneamento e com isso causa a morte dos rios. Pois todo esgoto é despejado nas águas dos rios que não tem um tratamento adequado”, considerou.

Costa lembrou que encontrou muito lixo, queimadas e degradação nos pontos turísticos do Piauí. Segundo ele, a intenção é causar impacto para que possa ser feito algum trabalho de revitalização nesses pontos. O ambientalista disse que poderá acontecer o processo de imigração ambiental e que os rios estão secando.

Como alternativa, ele destacou que deve ser feito um sistema de esgoto para purificar o dejetos que são despejados nos rios.

Image title


Fonte: Waldelúcio Barbosa