Piauí é o terceiro estado do país com maior número de mortes por raio

Os números se referem às informações fornecidas pela imprensa, Defesa Civil e Ministério da Saúde

O período chuvoso acaba com o calor predominante do B-R-O-Bró, mas traz consigo um acontecimento preocupante: a incidência de raios.
Se no período mais quente a quantidade de descargas cai para zero, nos meses de chuva a quantidade de raios que ‘caem’ em Teresina aumenta vertiginosamente para 6.421 relâmpagos e raios por quilômetro quadrado. E a estatística aumenta em cidades do interior do Piauí, como Luzilândia e Nossa Senhora dos Remédios. Os dados são da meteorologista Sônia Feitosa, gerente de Hidrometeorologia da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.


Contrariando estudos, Teresina não é a terceira cidade do Brasil a receber mais raios. Nem mesmo chega a ser a cidade piauiense com maior incidência de cargas elétricas. “Os municípios mais insidiosos são aqueles localizados no Sul do Estado, pois ficam mais próximos da zona de convergência intertropical e nesta época apresentam muita umidade do ar, um dos fatores decisivos para a incidência de raios”, comenta Sônia Feitosa.

Segundo a meteorologista, no Estado do Piauí como um todo não há grande incidência de raios. Não tanto quanto em São Paulo, Amazônia ou Mato Grosso. “A diferença é que, aqui, muitas pessoas informam a causa de morte em decorrência da descarga e isso já não acontece em outros estados. Amazonas é líder em incidência de raios, especialmente no interior. Entretanto, nem todos os casos são amplamente divulgados como aqui”, esclarece.

De acordo com dados da profissional, a cidade de São Paulo é a capital com maior queda de raios por quilômetros quadrado. No ranking nacional, Teresina ocupa a 3.730ª posição entre as cidades brasileiras, não aparecendo nem mesmo entre as 100 cidades do Piauí com maior índice de raios.

O tempo quente e úmido, com a formação de nuvens propícias para a geração de tempestades com descargas, é o principal responsável pela incidência dos raios. E todo cuidado é pouco quando se está desabrigado no meio de uma chuva. “Caso a pessoa esteja na rua durante uma chuva com muitos raios, a primeira atitude a fazer é procurar se abrigar debaixo de uma construção forte. Caso esteja em lugares descampados, evite ficar debaixo de árvores ou próximo a água, pois são bons condutores de energia. E não tenha medo de falar no celular ou se abrigar dentro de um carro, pois os raios não penetram estas superfícies”, frisa Sônia Feitosa.

Piauí é terceiro do país em número de mortes por raio

Dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apontou em levantamento das mortes por raios que ocorreram em 2014 no Brasil, que o Piauí foi o terceiro Estado que apresentou o maior número de vítimas fatais.

No país, houve 98 mortes, uma a menos do que em 2013. Desta vez, os estados que apresentaram mais vítimas fatais foram São Paulo (17 mortes), Maranhão (16), Piauí (7), Amazonas e Pará (com seis mortes cada um).


Os números se referem às informações fornecidas pela imprensa, Defesa Civil e Ministério da Saúde.

Segundo o ELAT, as principais circunstâncias de morte permanecem as mesmas de outros anos: 27% das vítimas estavam em atividades agropecuárias quando foram atingidas pelo raio e 20% estavam dentro de casa. Entre todas as vítimas, 56% viviam na zona rural.

 

Fonte: Olegário Borges