Piauí ficou 32,95 horas sem energia em 2014, aponta balanço da Eletrobras

O número de vezes em que, em média, cada cliente ficou sem energia no ano passado foi de 20,58 vezes. 11,8 menor que no ano anterior quando o índice foi de 23,58 vezes

Os piauienses ficaram, em média, 32,95 horas sem energia em 2014. O período representa um acréscimo de 10,6% em relação a 2013 quando o tempo sem energia foi de 29,78 horas. E a culpa pelo acréscimo não foram os raios. No balanço da Eletrobras Piauí apresentado aos seus acionistas é registrada a redução de 28% na quantidade de equipes para atendimento emergencial. A queda se deve a adequação ao orçamento de custeio que teve redução de 20%.

O número de vezes em que, em média, cada cliente ficou sem energia no ano passado foi de 20,58 vezes. 11,8 menor que no ano anterior quando o índice foi de 23,58 vezes.

A relação entre os dois índices mostra que os piauienses ficaram menos vezes sem energia, mas por um período maior. O serviço demorou a ser reestabelecido pela Petrobras.

A empresa aponta ainda que foram energizadas durante o ano de 2014 pelo Departamento de Obras de Redes de Distribuição, aproximadamente 51 km de redes em média tensão (13,8kV) que fazem parte dos alimentadores das subestações de Renascença, Polo Industrial, Baixa Grande do Ribeiro, Parnaíba II e Parnaíba I, além de extensões de pequenas obras na própria rede.

Um dos fatores que mais contribuíram para a baixa realização do investimento em 2014 foi a limitação financeira quanto aos recursos próprios, ou seja, insuficiência de caixa e a não efetivação de financiamentos externos para atendimento das demandas. A baixa realização do investimento foi também decorrente da falta de recursos dos contratos financiados pela RGR, levando a paralisação de algumas obras, além do atraso na execução dos projetos financiados pelo Banco Mundial.

 

Fonte: Ananias Ribeiro