Piauí fortalecerá combate à invasão de terras por Estados vizinhos

A preocupação agora responde pela região do Cariri, onde está sendo implementado um parque eólico na Chapada do Araripe, que promete elevar o Piauí à condição de produtor de energia elétrica no país.

Com nove leis de limites territoriais aprovadas no ano passado e mais cinco em tramitação na Assembleia Legislativa, os parlamentares piauienses intensificarão o combate à invasão das terras do Estado, ao menos é o que garante o membro da Comissão de Estudos Territoriais (CETE), Rubem Martins (PSB), em entrevista ao Jornal Meio Norte na tarde de ontem.

A preocupação agora responde pela região do Cariri, onde está sendo implementado um parque eólico na Chapada do Araripe, que promete elevar o Piauí à condição de produtor de energia elétrica no país. Desse modo, segundo o deputado estadual, é necessário redobrar a atenção, tendo em vista que os Estados do Ceará e Pernambuco estariam ''cobiçando'' a importante fração de terra, primordial para o desenvolvimento de energias renováveis.

"Pedi que uma comitiva de deputados e técnicos acompanhassem a instalação desse equipamento e percebam de perto a realidade da região do Araripe e um maior cuidado, o Ceará e Pernambuco hoje estão tentando invadir as nossas terras, pois estão de olho nesse comércio que é a geração de energia eólica e, principalmente, os minérios da região", disse.

Martins ainda versou sobre as ações que estão sendo tomadas em torno desses problemas, de modo que as fronteiras sejam respeitadas. "Já temos uma comissão para cuidar disso, nossa primeira ação será escutar as comunidades locais para que se realmente tenha e um retrato e possa tomar as medidas cabíveis e judiciais", destacou.

Para ele, não só os políticos, mas a comunidade em geral deve estar ciente da relevância do projeto de energia na região do Araripe, de modo que todos possam funcionar como fiscais do patrimônio local.

"O Piauí produzindo essa quantidade de energia vai entrar no Sistema Nacional de Energia Elétrica, isso vai repercutir em todo o país, pois passará a abastecer todo o Brasil, hoje nós somos abastecidos por outras unidades de energia, portanto ficamos felizes com a melhoria da economia, a melhor qualidade de energia que vamos ter, principalmente pelo Piauí aparecer como produtor de energia", declarou.

O parlamentar finalizou ressaltando que a grandiosidade do projeto deve levar o Piauí a produzir 10% da energia elétrica do país, ajudando também a sanar problemas enfrentados no sistema nacional de distribuição.

Fonte: Jornal Meio Norte