Piauí ganhará 1º centro de saúde do Brasil voltado para atenção de adolescentes

O projeto tem a ousada missão de ser o primeiro centro brasileiro a se dedicar também à saúde dos jovens.

O Piauí ganhará em breve um centro de saúde voltado para a atenção ao adolescente. Trata-se do Centro de Saúde Materno Infantil que, apesar do público descrito no nome, terá atividades e serviços voltados também para os jovens.

Para tal foi adquirido um terreno de aproximadamente 17 mil metros quadrados, área equivalente a cerca de dois campos de futebol oficiais, localizado na Avenida Higino Cunha, próxima à Maternidade Dona Evangelina Rosa. O projeto tem a ousada missão de ser o primeiro centro brasileiro a se dedicar também à saúde dos jovens.

?A construtora já está licitada e tão logo finde o período eleitoral estaremos lançando a pedra fundamental da obra que deve ser concluída no prazo de quatro anos?, informa o médico e diretor do Hospital Infantil, Francisco Passos.

No total, devem ser investidos no projeto R$ 140 milhões. Deste montante, R$ 50 milhões serão destinados para a construção e conclusão da parte física. Os R$ 90 milhões restantes serão designados para a compra de equipamentos.

?O Centro de Saúde Materno Infantil, construído pelo Governo do Estado, está focado em três grandes linhas: saúde da mulher; da criança, desde a gestação, passando pelo nascimento até cinco anos de idade; e a saúde do adolescente. Queremos ser um núcleo de discussão da saúde psíquica, social e física?, diz Dr. Passos.

Para tal, serão construídos 500 leitos, dez salas de parto, dezoito centros cirúrgicos, além de consultórios, salas para exames e aconselhamento psicossocial. Outro ponto positivo será a implantação de um forte sistema de segurança, com circuito interno de captação de imagens e vídeo.

?Entendemos que os adolescentes estão sofrendo com uma série de distúrbios sociais que se refletem na saúde. Inseguranças, medos e instabilidades afetam o bem estar físico. Também queremos valorizar a mulher como ente social complexo, não apenas com ser ligado ao binômio mãe/filho?, analisa o diretor do Hospital Infantil.

Fonte: Assessoria